Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Colunas Impressas » De Olho na Política

José Bonifácio: o herói esquecido?

Voltar para listagem de colunas Inserida em: 26/06/2012 Colunista: Carlos Pinto

“A grandeza não consiste

em receber honras,

mas em merecê-las.”

(Aristóteles)

 

Neste momento em que o Rio de Janeiro acaba de sediar a Rio+20, com resultados que não agradaram a gregos e troianos, é forçoso recordar que José Bonifácio de Andrada e Silva, foi o primeiro brasileiro a se preocupar com as questões ambientais.

Seu trabalho cientifico intitulado “Memória sobre a pesca da baleia e a extração do seu azeite”, onde critica a forma destrutiva de exploração dos recursos naturais, é um inicio de sua luta em favor do meio ambiente. Na sequência publica novo trabalho, o qual denomina “Memória sobre a necessidade e a utilidade do plantio de novos bosques em Portugal”. Em suas obras completas, vamos encontrar outras participações do autor, impregnadas de preocupações com a situação ambiental do Brasil e da Europa.

Apesar de tudo que realizou em seus setenta e cinco anos de existência, somente em 21 de abril de 2007, José Bonifácio foi entronizado no Panteão dos Vultos da Pátria, como Herói Nacional. Ele, que projetou o atual estado brasileiro, com suas divisões territoriais, que foi o principal articulador de nossa independência de Portugal, e iniciou a luta pelo fim da escravidão no país, custou a ser reconhecido como Herói Nacional. Graças ao trabalho conjunto do prefeito João Paulo Tavares Papa, da deputada estadual  Telma de Souza e do então Presidente da Câmara dos Deputados, Aldo Rebelo, foi possível se concretizar essa entronização, à qual esteve presente o Vice Presidente da República, José Alencar.

Temos que destacar também o trabalho realizado pelo Movimento Pró-Memória de José Bonifácio, comandado por Arlindo Salgueiro e José Geraldo Gomes Barbosa, que não descuram um só minuto na defesa dos ideais de José Bonifácio e no culto à sua memória. Ainda durante a solenidade em que se comemoraram os 249 anos de nascimento do Patriarca, o Prefeito João Paulo Papa anunciou a criação de uma comissão que comandará os trabalhos das festividades dos 250 anos de nascimento de nosso Herói Nacional, a ocorrer em 2013.

Torna-se necessário também, criar em nossas escolas uma cadeira de estudos sobre as obras e atividades deste insigne brasileiro, a efeito do que já existe em outros países. José Bonifácio é cultuado em vários países da America Latina, da Europa, nos Estados Unidos onde existe um monumento em sua homenagem em Nova York. Junto com Simon Bolívar e José Marti, é considerado um dos responsáveis pela libertação dos países sul americanos, do colonialismo europeu.

Porém, o Governo de São Paulo a tudo assiste impassível. O Decreto Estadual, que entre outras coisas determina a transferência simbólica da sede do Governo de São Paulo, para Santos, no dia 13 de junho de cada ano, data de nascimento de José Bonifácio, só foi cumprido uma única vez, em 2006, pelo então Governador Cláudio Lembo, autor do referido Decreto 50.499, de 26 de janeiro de 2006. Portanto há seis anos, o Governador de plantão dá suas costas a este Herói Nacional, e sequer se fez representar nas solenidades realizadas este ano. Será José Bonifácio um herói esquecido pelos governantes do seu Estado de nascimento?

Pergunta para a qual se aguarda uma resposta de quem não cumpre as leis que promulga. Não só as leis, como outras promessas.