Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Colunas Online » Desatando Nós

Gays pedem educação contra a homofobia

Voltar para listagem de colunas Inserida em: 27/06/2012 Colunista: Alexandre Martins Joca

Neste ano, a Parada Gay levou para a Av. Paulista, o tema da educação, um claro apelo às autoridades competentes para que seja incluído no processo educacional, o ensinar diversidade, treinando professores, para uma educação inclusiva mais abrangente.

Quem acompanha a violência homofóbica entendem porque os participantes da Parada Gay, hoje a maior do mundo, realizada no início desse mês de junho, clamam por educação para a diversidade. Representantes do povo nos mais diversos setores da sociedade sabem da importância desse clamor.

Não foram poucas as críticas ao governador Geraldo Alckmin (PSDB) por ter subido ao palanque da Prefeitura montado na “Paulista” para assistir a parada. Ele não fez discurso, apenas conversou com representantes do movimento LGBT. Ele chegou tímido, depois mais à vontade, deu entrevistas.

Alckmin reconheceu a importância da manifestação, ressaltando que do ponto de vista econômico, o evento injeta R$ 12 milhões na economia paulista, lembrando que São Paulo foi o primeiro estado a reafirmar os direitos civis da comunidade LGBT.

“São Paulo é vanguarda contra a intolerância e na defesa por uma sociedade fraterna. Foi o primeiro estado a tipificar os tipos de ações contra a intolerância, além da criação da primeira Decradi– Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância. A beleza de São Paulo é ser cosmopolita e abraçar todas as formas de diversidade”.

Alckmin garantiu que em seu governo vai continuar com os programas de inclusão LGNT nas áreas da saúde e acesso aos serviços públicos.

Independente da opção sexual, os políticos aos poucos começam a olhar a Parada Gay de forma diferente. O mesmo acontece com representantes de igrejas e com a população no geral. A Parada Gay, em sua 16ª edição mostrou que o evento vem se fortalecendo no sentido de conscientizar seus participantes que o momento de se divertir é também o momento apropriado para reivindicar seus direitos.

A Parada Gay, com todo o seu estardalhaço colorido e com a alegria de cerca de três milhões de pessoas, colocou a céu aberto na Av. Paulista, a ferida brasileira que urge por cura: o preconceito, da mesma forma que reivindicou a profilaxia: a educação. (Noemi Francesca de Macedo)

*A 16ª Parada Gay foi realizada em 10 de junho, reunindo mais de 3 milhões de pessoas)