Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Colunas Impressas » De Olho na Política

Os estacionamentos subterrâneos

Voltar para listagem de colunas Inserida em: 04/03/2013 Colunista: Carlos Pinto

O crescimento de algumas cidades e as soluções para os problemas oriundos desse crescimento estarão sempre nas mãos de administradores objetivos e ousados. No caso de Santos, ou de qualquer outra cidade do mesmo porte, onde os problemas causados pelo trânsito excessivo e a falta de locais de estacionamentos, sugerem atitudes ousadas. No caso, os estacionamentos subterrâneos.

Em 2011, quando estive em Cádiz, na Espanha, acompanhando o ex-prefeito João Paulo Papa, tive oportunidade de conhecer alguns desses equipamentos, inclusive um recém-inaugurado, com capacidade para mil veículos. Visitamos outros com capacidade para 500 e 300 automóveis, em companhia de Dona Teófila, Prefeita da cidade.

Este estacionamento para mil veículos está localizado à beira do Oceano Atlântico, com extensa área de lazer em sua estrutura térrea, onde se pode ter uma magnífica visão desse oceano, bem como de navios e barcos que por ali navegam. E de que forma se constroem estes equipamentos? É feito um edital de concorrência, e a empresa vencedora será a responsável pela construção, ao passo que a parte da Prefeitura é a cessão da área para essa edificação. Pronto o estacionamento, a renda dele auferida reverterá em percentuais iguais para a construtora e para a Prefeitura.

Visitamos também o estacionamento subterrâneo do shopping Corte Inglês, composto por três andares, onde mais de mil carros podem ali estacionar, enquanto seus proprietários efetuam suas compras. Alem do Prefeito João Paulo Papa, estavam nessa visita a Cádiz o Secretário de Planejamento de então, Bechara Abdala, e o assessor de gabinete Luiz Guimarães. Nossa ida a Cádiz foi para efetuar a segunda etapa do irmanamento entre aquela cidade e a de Santos.

Cádiz é uma cidade com mais de três mil anos, banhada por um lado pelo Oceano Atlântico e por outro pelo Mar Mediterrâneo é uma cidade portuária como Santos, tem belas praias e um turismo cultural muito bem planejado. No passado sofreu com a invasão dos fenícios e mouros, e guarda em vários monumentos uma parte de sua história. É a terra natal do flamenco, e possui pouco mais de 140 mil habitantes fixos.

Nesta oportunidade solicitei a um dos secretários da Prefeitura de Cádiz, a possibilidade de obter cópias de projetos destes estacionamentos, bem como nomes e referencias de empresas espanholas que operavam nesse setor. Todo esse material me foi enviado e tão logo recebido, foi entregue ao atual Secretário de Turismo, Luiz Guimarães. Discutíamos na época a viabilização desses estacionamentos para desafogar o centro de Santos, e várias áreas urbanas foram pensadas, como é o caso da Rua João Pessoa, a Praça dos Andradas, e o estacionamento de caminhões que existe na Avenida Perimetral, ao lado da Bolsa de Café.

O tempo passou e não tivemos tempo hábil para viabilizar sequer os estudos preliminares, até onde sei. Como o antigo assessor do Prefeito Papa, e atual Secretário de Turismo do Prefeito Paulo Alexandre, ainda deve estar de posse desses projetos enviados pela Prefeitura de Cádiz, seria uma boa oportunidade de se voltar a pensar nesses equipamentos, já que a lebre foi levantada em matéria que li em um jornal local.

As semelhanças entre Santos e Cádiz são enormes. A única diferença se resume em termos eleitorais. Na Espanha não existem limites para a reeleição tanto no legislativo quanto no executivo. No dia em que saímos de Cádiz, Dona Teófila estava sendo reeleita pela quarta vez para comandar a administração municipal, com mais de 70% dos votos. Como diria Gide, “ser é ousar ser”, e a Prefeita de Cádiz é realmente uma administradora ousada e popular.