Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Colunas Impressas » De Olho na Política

As diferenças

Voltar para listagem de colunas Inserida em: 25/08/2014 Colunista: Carlos Pinto

“Não são as ervas daninhas

que matam a boa semente,

mas sim, a negligência do camponês.”

(Provérbio zen)

 

A Seleção Brasileira de Voleibol Feminino acaba de vencer pela décima vez, a Liga Mundial da modalidade, honrando as cores do país e mantendo uma hegemonia de anos, graças ao profícuo trabalho do técnico José Roberto e dos dirigentes da Federação Brasileira de Voleibol. Um exemplo a ser seguido pelas demais federações esportivas do Brasil.

No entanto, durante todo o torneio não se avistaram nos mastros ou janelas dos brasileiros, uma única bandeira nacional para incentivar nossas bravas atletas em sua campanha. Podem os arrivistas me contradizer, alegando que os jogos aconteciam de madrugada. Ocorre que durante a Copa do Mundo de Futebol realizada em dois países asiáticos, essas mesmas bandeiras estavam nas janelas e todos perdiam suas horas de sono para assistir aos nossos craques.

Por outro lado, nossos jovens atletas que nos representam na Olimpíada da Juventude que ora se desenrola na China, vem obtendo resultados maravilhosos, tendo conquistado até agora, oito medalhas entre, as de ouro, prata e bronze. E não é só a conquista de medalhas por estes novos atletas, mas também um recorde mundial conquistado por um nadador Matheus Santana, da Universidade Santa Cecilia de Santos, que patrocina boa parte da nossa equipe de natação nesses jogos.

E as bandeiras para esses jovens que se dedicam a elevar o nome do Brasil? Estão guardadas para privilegiar meia dúzia de pernas de pau, que ganham fortunas, para envergonhar o esporte nacional. Está na hora de serem efetuadas mudanças drásticas ou, passaremos nova vergonha na Olimpíada que se aproxima e que será realizada no Brasil. Os atuais mandatários da CFB precisam e devem ser defenestrados, assim como, em outras federações que dizem representar a maioria dos esportes olímpicos.

Todos sabemos que hoje em dia, qualquer atleta deixa de ser amador quando começa a se destacar. Acho justo que tal ocorra, pois não dá para o cidadão trabalhar, estudar e treinar. É assim no mundo inteiro, só que com uma diferença gritante. Aqui tudo vai para o futebol, enquanto os demais esportes sobrevivem com as migalhas de alguns patrocinadores. Os governos em si pouco se interessam em incentivar os demais esportes, pois o dinheiro é pouco para contemplar as mazelas e a corrupção.

Parabenizamos as atletas da Seleção Brasileira de Voleibol Feminino, bem como, os atletas que estão nos representando na Olímpiada da Juventude, que ora ocorre na China. Parabenizamos também os patrocinadores desses atletas, cuja visão enxerga mais alto que os olhos dos nossos governantes. Quanto ao povo, está na hora de privilegiar a todos aqueles que nos representam com honra e dignidade, o que não é o caso dos nossos futebolistas. Portanto, bandeiras na janela para os demais esportistas que, com orgulho, raça e técnica, elevam o nome do Brasil no cenário esportivo mundial.