Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Colunas Impressas » Desabafo do Samba

Desfile na Passarela do Samba começou com estreantes

Voltar para listagem de colunas Inserida em: 14/02/2015 Colunista: Toninho Madrugada

Desfile na Passarela do Samba começou com estreantes

O desfile das escolas na Passarela do Samba ‘Dráusio da Cruz’ começou nesta sábado (14), com duas novas agremiações. As estreantes Grêmio Recreativo Cultural Academia de Samba Mãos Entrelaçadas e o Grêmio Recreativo Cultural Escola de Samba Unidos da Baixada, abriram o desfile oficial do Carnaval de Santos.

 A primeira a desfilar foi a “Mãos Entrelaçadas” com enredo que fala da importância da preservação da natureza e a importância da reciclagem. Com 450 integrantes, dois carros alegóricos e 11 alas, a agremiação empolgou o público que não economizou aplausos, especialmente para o segundo casal de mestre sala e porta bandeira que se apresentaram como se a vida toda não tivessem feito outra coisa, a não ser desfilar levando o pavilhão da escola. A escola foi batizada em maio do ano passado pela co-irmã Escola de Samba X-9.

A segunda escola a entrar na avenida, a também estreante “Unidos da Baixada”, entrou na Passarela cantando alto o enredo “Ganga Zumba - Zumbi - Zâmbi - O gênio do mal o senhor da guerra”. O entusiasmo dos cerca de 400 integrantes fez o público dançar e cantar nas arquibancadas e camarotes com a rainha da bateria, Lika Borges, à frente de 80 ritmistas, distribuindo sorrisos e conquistando a plateia.

Na sequência desfilaram as escolas do grupo de acesso: Imperatriz Alvinegra (antiga Camisa Alvinegra), Dragões do Castelo, Unidos da Zona Noroeste, Império da Vila e Mocidade Dependente do Samba.

Imperatriz Alvinegra – Já era madrugada de domingo (15), quando a Imperatriz Alvinegra, antiga Camisa Alvinegra, entrou na passarela do Samba Dráusio da Cruz, em Santos. Com 690 integrantes, a escola trouxe o enredo "O relógio em tempo de evolução", a agremiação trouxe um carro alegórico de nome 'relógio atômico' na madrugada de domingo (15). A Imperatriz Alvinegra entrou na avenida com os 120 integrantes da bateria Guarda Real do Tempo, com o mestre de bateria Peter Pan e a rainha Selminha Sorriso.

Dragões do Castelo- Com 800 integrantes, a escola com muitas crianças e adolescentes, contagiou o público ao apresentar em cores fortes e florescentes os inesquecíveis compositores e estrelas no samba enredo 'The stars of the music, em uma inspiração musical' transformando a passarela do samba em um grande palco com a bateria homenageando o Rei do Rock, Elvis Presley. Ao som da bateria, o enredo lembrou Luiz Gonzaga, Bob Marley, Michael Jackson, entre outros. Um das alas infantis, formada pelas crianças do Projeto Tia Egle, homenageou o grupo Mamonas Assassinas. A escola desfilou com dois carros alegóricos 'Garota de Ipanema, uma beleza sem igual' e o 'Asa Branca do Rei do Baião' e dez alas.

Unidos da Zona Noroeste - O enredo 'A incrível viagem do espelho pelo tempo' uma alusão à vaidade, com o refrão "Chegou a hora vem ver... Zona Noroeste resplandecer", os 800 integrantes conquistaram o público que cantou junto, para emoção do carnavalesco Paulinho Brilho. A agremiação apresentou 15 alas, dois carros alegóricos e a bateria com 105 ritmistas caracterizados de anões da Branca de Neve, onde o espelho aparece como um elemento importante da fábula.

Império da Vila - Pelo menos na Passarela do Samba, os professores tiveram destaque especial, graças a Escola de Samba "Império da Vila" que fez uma homenagem aos mestres, cujos ensinamento podem mudar a vida de uma pessoa ou de toda uma comunidade.
A agremiação foi a penúltima a entrar na passarela do samba Dráusio da Cruz. Com as cores azul, vermelho e branco, a Império desfilou com 1000 integrantes, 100 ritmistas e três carros alegóricos.

Mocidade Dependente do Samba – Já era manhã de domingo, quando a Mocidade Dependente do Samba, entrou na passarela Dráusio da Cruz, em Santos. A escola apresentou uma cidade fictícia “Palhaçópolis”, com problemas comuns aos do País e o pedido de justiça através da sátira e irreverência. Como a escola entrou na passarela por volta das 6h, as arquibancadas já não estavam lotadas, mas quem foi embora vencido pelo sono e cansaço, perdeu o brado dos750 integrantes, distribuídos em 11 alas e três carros alegóricos que cantavam “...vem mocidade que hoje o tribunal é na avenida”. O enredo, mais que uma provocação às autoridades é um chamamento à reflexão sobre a realidade brasileira. Muito bem explorado, o serve como uma luva à muitas cidades. Só para se ter uma ideia da associação com a nossa realidade, o primeiro carro alegórico representando cidade Palhaçópolis, com sujeira e terror; o segundo destacando as crianças como esperança para mudança necessária da sociedade e pessoas felizes em picadeiro com palhaços; e o terceiro carro, o símbolo da justiça e dos orixás.

O  festa dessa primeira noite de desfile na Passarela do Samba “Dráusio da Cruz”, como não podia deixar de ser, foi comandada pela  Corte Carnavalesca 2015 formada pelo Rei Momo João Paulo Rivera, Rainha Juliana Batista Pereira Santos, princesa  Danielle de Lima Santana, casal de Cidadão e Cidadã-Samba, Dukinha da Ladeira e Soraya Santos. Desfilando com a Corte Carnavalesca, os ‘Embaixadores do Samba’ Vado da Cuíca e Cida da Real, o casal de Cidadão e Cidadã-Samba de 2014.

Neste domingo (15), segunda noite de desfiles, passam pela passarela do samba: primeiro dia do concurso do Grupo, as escolas: Bandeirantes do Saboó (campeã do Grupo de Acesso em 2014), Real Mocidade Santista, Mocidade Amazonense (3ª colocada de 2014), União Imperial (4ª colocada de 2014) e Padre Paulo.

E na segunda-feira (16) -  também pelo Grupo Especial, desfilam Vila Mathias, Sangue Jovem, Unidos dos Morros (campeã de 2014), Brasil e X-9 (vice-campeã de 2014).

(Fotos: André Souza/Divulgação)