Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Colunas Impressas » De Olho na Política

Cádiz: capital cultural da Espanha

Voltar para listagem de colunas Inserida em: 10/06/2011 Colunista: Carlos Pinto

“O teatro é um dos mais úteis

e expressivos instrumentos para

a edificação de um país e o

barômetro que marca sua

grandeza ou seu declínio.”

(Garcia Lorca)

 

 Em Cádiz se respira arte e cultura em cada esquina de suas avenidas modernas e vielas estreitas da era colonial. Em Cádiz a união do antigo com o moderno é realizada de forma exemplar, e a quantidade de espaços destinados ao teatro, a musica, dança e principalmente à arte flamenca, são inúmeros.

 Seu centenário Gran Teatro Falla lembra muito o nosso Teatro Coliseu em sua arquitetura interna. Ali, nos dias em que lá estive, estava acontecendo o XVII Festival Ibero-americano de Música.

Tive a oportunidade de assistir na segunda noite desse evento, a maravilhosa cantora da Galícia, Luz Casal. Sua apresentação dividida em três etapas estava baseada em músicas de seu último disco, “La Pasion”, produzido por Renaud Letang, com arranjos do brasileiro Eumir Deodato. É uma viagem por composições latino-americanas, onde despontam obras desconhecidas do folclore, e outras que fizeram sucesso no Brasil, como é o caso de “Historias de um amor” e “Gracias a La vida”.

Estive também no Centro Municipal de Arte Flamenca “La Merced”, onde assisti uma bela apresentação de música e dança com Nain Real, Pilar Villar, Juan Ortega, entre outros. Situado no bairro de Santa Maria, coração da arte flamenca em Cádiz, este Centro tem uma programação variada durante todo o ano, inclusive com a realização de cursos internacionais dessa arte sob a orientação de professores locais.

Cádiz realiza anualmente Festivais Ibero-americanos de Música, de Teatro, de Dança, e se prepara para um mega evento em 2012, quando a cidade estará comemorando o segundo centenário de sua Constituição.

Durante todo o ano serão realizadas manifestações ligadas à arte em geral, inclusive com exposições de artistas plásticos. Visitei ainda, a Casa de Ibero-América, um espaço com salas de até 600 m2 para exposições de artistas plásticos e bienais dessa área.

O Gran Teatro Falla é uma homenagem a Manuel de Falla, compositor espanhol nascido em Cádiz e um dos principais nomes do movimento nacionalista do inicio do século XX. De Falla foi amigo pessoal de Garcia Lorca com quem produziu um festival de canções folclóricas da Andaluzia. Morou em Granada até o final da guerra civil espanhola, e terminou por se exilar na Argentina, onde veio a falecer em 1946, na cidade de Alta Gracia, província de Córdoba.

Por sua movimentação cultural, que conta com o apoio de seus governantes e dos empresários locais, Cádiz ocupa hoje um lugar de destaque no continente europeu, e seguramente é a capital cultural da Espanha.

Localizada na entrada do Mediterrâneo, banhada pelo outro lado pelo Atlântico, Cádiz é uma visita imperdível para os amantes da arte, da cultura e de todos quantos admiram o trabalho de restauração de prédios e monumentos antigos.