Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Colunas Impressas » De Olho na Política

Um símio em loja de cristais

Voltar para listagem de colunas Inserida em: 07/05/2016 Colunista: Carlos Pinto

“O início da sabedoria é a

admissão da própria ignorância.

Todo o meu saber consiste em

saber que nada sei. ”

(Sócrates)

A partir da segunda metade dos anos sessenta, passei a me interessar pelo processo eleitoral em várias cidades do interior paulista. Como presidente da Confederação de Teatro Amador do Estado de São Paulo, conheci dezenas de municípios paulistas onde fiz vários amigos, e entre essas cidades está a Franca do Imperador, ou simplesmente Franca.

A partir da eleição de Sidnei Rocha para a Câmara Municipal da cidade, e sendo ele da diretoria da Federação de Teatro Amador do Nordeste Paulista, sediada em Franca, a cidade ganhou um impulso na área cultural principalmente nas artes cênicas. É mister destacar a presença sempre atuante de dois baluartes da cultura francana: Orlando Dompieri e Cyrino Goulart.

Quatro anos se passaram e Sidnei Rocha se elege Prefeito, e durante a campanha eleitoral fui várias vezes apoiá-lo, inclusive em uma dessas idas levei os deputados estaduais Alberto Goldman e Emilio Justo. Na carroceria de um caminhão, cruzamos vários bairros operários da cidade, pedindo apoio e votos para o Sidnei.

Sidnei fez uma administração exemplar, e quando por força de medidas governamentais teve seu mandato estendido por mais dois anos, recusou-se a participar desse escapismo e renunciou, passando o cargo ao vice-prefeito. Alguns anos depois, ele resolve candidatar-se novamente ao cargo, e eleito, renova a cidade, é reeleito, e durante oito anos transforma a cidade. Acompanhei tudo isso de perto, nas várias vezes em que fui a Franca.

Não podendo mais continuar, democraticamente realiza uma prévia entre os pré-candidatos que se apresentaram e a vitória sorri para Alexandre Ferreira, até então Secretário Municipal de Saúde. Com o apoio decisivo de Sidnei, ele se elege e descalça as sandálias da humildade. Vira as costas para seu padrinho político e comete uma série de atos administrativos que começam a inviabilizar sua administração.

Com a aproximação de novo pleito eleitoral, recusa-se a desistir de uma improvável reeleição, e parte para uma prévia partidária onde é derrotado fragorosamente por Sidnei Rocha. Sua inabilidade política consegue restabelecer a amizade entre Sidnei e o Deputado Roberto Engler, que juntos montaram o velório da sua candidatura. Aí a coisa tomou o rumo da retaliação.

Como um símio em uma loja de cristais, Alexandre Ferreira demitiu todos os cargos em comissão que não votaram nele. Não satisfeito, segundo as informações que tenho, desmontou a sede do PSDB local e levou os moveis e materiais do partido para lugar incerto e não sabido. Os demais membros do Diretório simplesmente fizeram um BO na polícia, denunciando o furto. E além disso tudo, o senhor Alexandre Ferreira vai ter que aguentar um processo de cassação na Câmara Municipal, por improbidade administrativa. Sem o apoio de Sidnei Rocha e do deputado Roberto Engler, dificilmente escapará da degola. É esperar para ver.