Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Colunas Impressas » De Olho na Política

Os caras de pau do Congresso

Voltar para listagem de colunas Inserida em: 12/02/2017 Colunista: Carlos Pinto

“ Se os desonestos brasileiros

voassem, nós nunca veríamos

o sol.”

(DA)

Os senhores membros da Câmara dos Deputados, devem viver em um mundo ou país, que não é o nosso. Enquanto o povo aperta o cinto, num esforço para cobrir os rombos praticados por esses senhores em conjunto com um governo nefasto, estes senhores tomam atitudes totalmente ao inverso. Continuam tentando armar suas maracutaias, para livrar a cara de um enfrentamento com a Operação Lava Jato. Essa proposta que chegou a ser votada em primeira discussão, que livra os partidos políticos de prestar contas das verbas que recebem, é uma afronta sem precedentes.

Não fosse a pronta reação efetuada através das redes sociais e da imprensa, e essa canalha estaria agora festejando mais um golpe contra os cofres públicos. Um Congresso onde mais da metade de seus membros está denunciada por práticas pouco republicanas, deveria ter um mínimo de vergonha na cara, e dar um basta em tantas patifarias. Todos os dias um deles é alvo de denúncias de corrupção, como é o caso do atual Presidente da Câmara dos Deputados, envolvido em troca de “benesses” com uma das empreiteiras envolvidas na Lava Jato.

E com a maior cara de pau vem a público desmentir, quando ele e seu pai, que hoje é vereador no Rio de Janeiro, são denunciados por corrupção. E o pior dessa tramoia toda de livrar os partidos de prestação de contas, em uma afronta a legislação eleitoral e ao próprio TSE, é que a maioria desses partidos não passam de legendas de aluguel. Que seus diretórios nacionais e seus dirigentes, vivem às custas dessas verbas partidárias, que hoje somam importâncias acima de um bilhão de reais.

Fui dirigente partidário em Santos, e jamais, chegou ao nosso diretório, um centavo sequer dessa tal verba partidária. E isso acontece com todos os diretórios municipais de todos partidos, enquanto os presidentes e dirigentes nacionais, usam e abusam desse dinheiro que é produto dos impostos pagos pelos brasileiros. Urge uma reforma partidária, que elimine noventa por cento desses partidos, para pôr fim a essa bandalheira de legendas de aluguel.

E que se coloque um fim também, nessa verba partidária. Os partidos têm que viver através de doações de seus membros. Enquanto o país caminha para o caos financeiro, tem dirigente partidário que não dá um dia a ninguém, mas vive melhor que qualquer membro da classe média alta, usufruindo da “venda” de sua legenda e da referida verba partidária.

O país precisa de reformas, mas não as que estão tramitando que só penalizam a sociedade brasileira. É necessário o fim do foro privilegiado, para que se respeite a Constituição Federal, onde reza que todos são iguais perante a lei. E torna-se urgente a realização de eleições para todos os cargos, na qual sejam excluídos todos aqueles que estão denunciados por qualquer crime. Renovar é preciso, antes que essa renovação venha pelo uso da força, com a devida aplicação de óleo de peroba nas caras de pau desses congressistas.