Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Colunas Impressas » De Olho na Política

Vergonha

Voltar para listagem de colunas Inserida em: 30/06/2017 Colunista: Carlos Pinto

 “O início da sabedoria é a

admissão da própria ignorância.

Todo o meu saber consiste em

saber que nada sei. ”

(Sócrates)

 

Não se trata de sentir vergonha do nosso País. Um território lindo, de belezas naturais imensas, e uma terra santa que produz alimentos para todo o planeta. Fomos abençoados nesse particular, mas em contrapartida, somos um povo de analfabetos políticos, que não gosta de estudar e de discernir entre o certo e o errado. A cada eleição votamos em uma corja de malandros, com raríssimas exceções, que se locupletam com o nosso dinheiro, produto dos mais variados impostos a que somos obrigados a contribuir.

O Brasil continua vivendo o período da derrama dos tempos coloniais, e o que poderia ser uma Nação vibrante, de primeiro mundo, termina por ser um País que chafurda a vários anos, no lodaçal da corrupção. A impunidade está institucionalizada, visto que todos os segmentos governamentais, jurídicos e legislativos, estão vastamente contaminados pelo vírus impune desse mal que nos aflige a dezenas de anos.

Estamos vivendo um período em que as nossas instituições estão sendo atacadas por alguns membros do judiciário, imunes aos apelos corruptivos, que estão encontrando serias dificuldades em colocar na cadeia, todos esses políticos malandros e gatunos. Enquanto isso, nossa imagem no exterior, perante as outras nações, é uma imagem de País de ladrões. Onde pagamos até pelo ar que respiramos, mas que esse dinheiro, é sempre desviado pelos malandros encastelados no poder.

E a quem cabe culpar? A nós mesmos que, na hora do voto, não temos a mínima consciência desse ato, e votamos em promessas vãs de guloseimas. E durante quatro anos somos ludibriados por essa casta de canalhas, que se passam por nossos representantes, mas que na verdade representam apenas os seus interesses e os de suas famílias e amigos próximos. Mas não conseguimos aprender com nossos erros, e a cada quatro anos, voltamos a eleger esses mequetrefes para mais um período de vida boa, mesa parta, contas bancárias recheadas pelas propinas, enquanto falta o pão em nossas mesas.

Além disso, somos obrigados a verificar as gafes de um Presidente atolado até o pescoço em delações de corrupção, que confunde o Rei da Noruega com o Rei da Suécia. Que toma uma descompostura da Primeira Ministra da Noruega, em público, pelos altos níveis de gatunagem no meio político brasileiro. Que ao chegar a Moscou, foi recebido no aeroporto por um funcionário de terceiro escalão, e na Noruega, pelo chefe do aeroporto.

Que mais nos falta para acabar de enxovalhar o País? Até quando vamos suportar tanta vergonha e tanta desfaçatez? É esse País que desejamos deixar para nossos filhos, netos e demais descendentes? A resposta é sua, meu caro eleitor brasileiro. Seu voto é o seu futuro destino, e o de seus familiares. Não está na hora de mudar? De refletir bem antes de votar? Você é o responsável direto por tudo isso que acontece em seu País. Vote por mudanças, caso você não esteja conivente com toda essa bandalheira.