Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Colunas Impressas » De Olho na Política

Bandoleiros e bandidos

Voltar para listagem de colunas Inserida em: 25/02/2018 Colunista: Carlos Pinto

 “Só os grandes sábios

e os grandes ignorantes,

são imutáveis.”

(DA)

 

           Pesquisa recente sobre dados da criminalidade no estado do Ceará, em 2017, apontam para 14 crimes de morte diários naquele estado. Não li nenhuma sobre Rio, Espírito Santo e São Paulo, onde a bandidagem age com toda a liberdade e presteza. E, enquanto não forem estancados os crimes cometidos pelos bandidos encastelados em Brasília, e demais capitais deste País, a tendência é que os bandoleiros nos acuem cada vez mais em nossas residências.

Diariamente a imprensa estampa novos casos de corrupção, como o que está em marcha, mais uma vez, envolvendo dirigentes da Caixa Econômica Federal. Acho até estranho que uma organização do Governo Federal, tenha que ter doze vice-presidentes. Deve ser caso único no mundo, e desses doze, quatro já foram afastados por seu envolvimento em atitudes pouco republicanas, em conluio com membros do Congresso Nacional e do próprio Governo Federal.

Em um momento em que toda a sociedade brasileira acompanha o desenrolar da Operação Lava Jato, com vários figurões sendo devidamente engaiolados, que esses gatunos não tenham a mínima vergonha na cara e continuem com seus crimes financeiros contra o povo brasileiro. E mais uma vez a figura do Presidente de plantão é vinculada a estes desmandos, o que, se for verdade, estamos diante do verdadeiro estado bandido.

Me parece que está em curso no País, uma disputa pelo comando desse estado bandido. De um lado os bandoleiros organizados em várias siglas, tais como PCC, CV, ADA e outros mais, e do outro, os bandidos encastelados em governos, quer seja o federal, os estaduais e os municipais. E a tudo isso o povo assiste como se fosse uma novela da Rede Globo, onde cada capitulo é uma aula de sacanagem, de trairagem, de corrupção e demais safadezas.

A grande preocupação de setores da nossa sociedade neste momento, é saber que fantasia vai usar e em qual escola de samba vai desfilar. E mais: quanto cada escola vai receber do governo para botar seu bloco na rua, mesmo que esse dinheiro faça falta nas escolas, nos hospitais, no pagamento do funcionalismo público, no combate a febre amarela, nos reparos necessários em nossas estradas, e no amparo ao nosso patrimônio e bens culturais. Há uma total anemia popular com relação aos destinos do País.

Enquanto isso, setores que defendem a absolvição dos indiciados em crimes contra o patrimônio subvertem a ordem, ameaçam membros do Judiciário, provocam adversários na tentativa de exercerem a manutenção desse quadro deplorável que envolve a classe política brasileira. A senadora que preside o PT é uma provocadora nata, irracional, que acha que vai levar no grito como os asseclas do Maduro fazem hoje na Venezuela, matando os adversários e intimidando a população através de um processo de fome e desamparo.

A tudo isso estamos assistindo com a esperança de que surja um salvador da Pátria. Acontece que para salvar esta Pátria, não será tarefa de um homem só, mas sim, de todos aqueles que prezam a liberdade, a democracia e os verdadeiros direitos humanos. É necessário limpar de uma vez por todas, com essa casta política que nos infelicita, criar penas mais duras para todos os tipos de crimes, e voltar a ensinar nas escolas, os direitos e deveres de cada cidadão.

Agora, ficar olhando o governo autorizar e colaborar com a viagem do principal culpado de toda essa desgraça para uma hipotética conferência na Etiópia, pagando as despesas dessa viagem e da comitiva do pilantra, só mesmo o povo brasileiro para aguentar tanta desfaçatez.