Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Colunas Impressas » De Olho na Política

Brasileiros que honram a pátria, mas são esquecidos pela mídia

Voltar para listagem de colunas Inserida em: 08/04/2018 Colunista: Carlos Pinto

 “Há pessoas que transformam                                                         o sol em uma simples mancha amarela,                                           mas há também aquelas que fazem                                                 de uma simples mancha amarela o próprio sol.”

(Pablo Picasso)

 

Para quem dedica um tempo a se informar sobre vários assuntos, percebe o tanto de brasileiros que estão se destacando mundo afora, mas que são discriminados pela mídia brasileira. Em quase todos os torneios de Matemática que ocorrem em vários países, é raro que participantes brasileiros não se destaquem, e em boa parte deles, acabe vencendo os referidos torneios. Da mesma forma, os vários brasileiros que ocupam lugar de destaque no Vale do Silício, centro de grande tecnologia americano.

Em São Carlos, um dos maiores centros tecnológicos do país, considerada o Vale do Silício brasileiro, é grande o numero de formados em suas Universidades, que estão se destacando com suas pesquisas e os resultados obtidos. Recentemente, uma brasileira, Nadia Ayad, ganhou um prêmio internacional por ter criado um sistema de dessalinização de água, utilizando o grafeno, que é considerado como uma matéria prima revolucionária.

Derivado do carbono, com uma resistência duzentas vezes maior que o aço, o grafeno é também considerado como um ótimo condutor de eletricidade, com utilização em vários setores da indústria. Em função de ser considerado como uma das matérias primas do futuro, foi escolhido como tema do “Global Graphene Challenge Competition 2016”, um evento de caráter internacional, que tem o patrocínio e promoção da empresa sueca Sandvik, que trabalha na busca e descoberta de soluções sustentáveis por todo o mundo.

E eis que a brasileira Nadia Ayad, formada em Engenharia de Materiais pelo IME – Instituto Militar de Engenharia, tornou-se a grande vencedora do evento, concorrendo com outros nove projetos finalistas. Criando um sistema de dessalinização e filtragem de água, com utilização do grafeno, tendo por finalidade garantir o acesso à água potável para milhões de pessoas, reduzindo através desse processo as despesas com energia e pressão sobre as atuais fontes de água.

Por certo não será a primeira experiencia internacional de Nadia Ayad. Participante do programa federal Ciências Sem Fronteiras, estudou durante um ano na Universidade de Manchester, Inglaterra, e tem agora como meta, fazer um PhD nos Estados Unidos ou na própria Inglaterra. Segundo ela, terá mais oportunidades para realizar suas pesquisas no exterior, que aqui no Brasil.

Não deixa de ter sua razão, pois seu feito foi omitido pela mídia nacional, que prefere divulgar, torturando nossas mentes, o noticiário de crimes, corrupção, dando espaços quilométricos a condenados que ousam confrontar a Justiça para escapar de seus crimes. O Brasil dos brasileiros que honram a Pátria, não tem espaço na mídia brasileira, que executa hoje um dos mais pobres e facciosos jornalismos do planeta.

Parabéns a Nadia Ayad, e a tantos brasileiros que se destacam em suas atividades, mas que contam com o silencio comprometedor da mídia, que prefere o crime e criminosos, a esses brasileiros que honram o país. (Foto: Divulgação)