Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Colunas Impressas » De Olho na Política

As lagostas e os vinhos do STF

Voltar para listagem de colunas Inserida em: 04/05/2019 Colunista: Carlos Pinto

 “Nenhum tesouro está

seguro em seus cofres,

quando o pai escuta seus

filhos chorando de fome.”

 (Plinio Marcos)

 

 

Enquanto o país atravessa uma grave crise econômica, com milhões de desempregados e a fome rondando infinitos lares brasileiros, os senhores Deuses do Olimpo chamado Supremo Tribunal Federal, agilizam uma licitação para a aquisição de variados acepipes, entre eles, lagostas e vinhos importados. Até hoje eu não consegui entender a existência desse Tribunal, exceto, para adotar decisões quase sempre contrárias aos interesses da sociedade, e facilitar a vida da escumalha corrupta que assola o país.

A maioria deles, nem currículo possui para estar nesse colegiado, pois alguns foram várias vezes reprovados em concursos para a magistratura e outro sequer foi aprovado em concurso para delegado de polícia. Esse sistema arcaico de nomeações pelo Presidente de plantão, precisa ser revisto com urgência. Se em outras instâncias os juízes são nomeados após concurso público, por que não o fazer também para o STF e STJ? O que impede? Aprovação pelo Congresso? Se assim for já sabemos que jamais acontecerá.

Essa licitação para os comes e bebes dos senhores do Olimpo, é um acinte ao povo brasileiro, cuja imensa maioria só vê lagosta por fotografia. Quando tem um prato de arroz com feijão se dá por satisfeito, agora gastar mais de um milhão de reais em produtos alimentícios, merece que o povo invada aquele pardieiro e faça o que tem que ser feito. Além disso, tem os uísques de primeira qualidade, afinal de contas, os deuses só bebem néctares dos alambiques ingleses e americanos.

Quando a mais alta corte da justiça brasileira, responsável pela salvaguarda dos preceitos constitucionais, é a primeira a rasgar a própria Constituição, atropelando os artigos que procrastinam a censura, não vejo qualquer necessidade da existência desse tribunal. Ainda mais, quando acusações recaem contra alguns de seus membros, por estarem envolvidos em atos de corrupção, está na hora dos senhores congressistas adotarem uma postura que corrija tal situação. Resta saber se tais congressistas não estão com o rabo preso em pendencias do mesmo quilate.

Os abusos são tantos, que o Brigadeiro responsável pelos jatos que servem o governo, tomou a decisão de suspender os voos do Ministro Gilmar Mendes. Segundo ele, em apenas um dia, o senhor Gilmar usou um desses jatos em quatro viagens a São Paulo, resultando em uma despesa de oitenta e quatro mil reais. Além disso, as exigências efetuadas aos serviços de bordo, tais como água Perrier, e jantar no restaurante Chamas. Ainda de acordo com esse Brigadeiro, nem o Presidente efetua tais exigências. Dito isto, não sei mais o que se torna necessário para afastar esses maus brasileiros dos cargos que ocupam. Usar o artigo 142 é uma prioridade.