Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Colunas Impressas » De Olho na Política

Tempos sombrios

Voltar para listagem de colunas Inserida em: 20/08/2019 Colunista: Carlos Pinto

 “Que continuemos a nos omitir

da política, é tudo que os

malfeitores da vida pública mais querem.”

(Bertolt Brecht)

          Há uma crise declarada entre os três poderes. De um lado alguns membros do STF, em uma conjuntura aliada com os Presidentes do Senado e da Câmara Federal, e do outro o governo eleito legitimamente pela maioria dos eleitores brasileiros. Vários parlamentares acuados com o avanço da Lava Jato, que fatalmente os levará a uma possível perda do mandato, terminaram por aprovar uma aberração em forma de lei, que além de os proteger, vai proteger a nata do crime organizado do país.

Aliados a alguns membros do STF, sobre os quais recam algumas suspeitas de participação na corrupção que assola a Nação, seja até pela participação de familiares muito próximos, que querem de qualquer forma anular os atos oriundos dessa Lava Jato. É o caso das esposas de dois desses membros, bem como, de um irmão de um deles, acusado de corrupção durante o tempo em que ocupou a Prefeitura de Marilia.

Do outro lado temos um governo, cujo Presidente, não tem papas na língua e se utiliza de uma estratégia que pode até ser considerada como a de bateu, levou. No entanto é uma análise simplória, enveredar por este caminho, pois quem conhece as estratégias militares, algumas colocações do Bolsonaro são apenas cortinas de fumaça. Ao afastar as intervenções que Noruega e Alemanha, vinham fazendo em nosso território, entendo que o Governo foi cirúrgico. Afinal de contas, onde foram parar os milhões de euros enviados por esses países para algumas ONGs sob seus controles? Por acaso isso diminui o desmatamento da Amazônia? Quantos bilhões eles levaram em minerais preciosos retirados por suas mineradoras do solo brasileiro?

Esse clima de beligerância que os outros poderes constitucionais estão armando para cima do Governo, pode nos levar a uma situação idêntica à de 64. Está claro que o Presidente vai vetar essa última artimanha do chileno, mas não sei qual será sua reação, com relação aos imundos ataques perpetrados contra sua esposa. Uma orquestração que não está tendo limites, onde a mídia brasileira, apequenada pela falta de verbas públicas que garantiam a boa vida de seus proprietários, não cansa de urdir, em conluio com os demais aqui citados.

Este clima de tempos sombrios, precisa ser aliviado de qualquer forma. Quem deve tem que pagar. Se alguns parlamentares, incluindo aqui os presidentes das duas casas legislativas, participaram dos ataques aos cofres públicos, nada mais justo que devolvam o que furtaram, e passem alguns anos atrás das grades. O mesmo com relação a magistrados que participaram dessas mazelas, além de outros que já estão cumprindo suas sentenças. Tentar liquidar a Lava Jato, é uma temeridade. Atrás da tênue linha da democracia, existe um mundo de trevas.