Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Informe-se » Eleições

Eleições 2014 - A mesmice do horário eleitoral

Voltar para listagem de Eleição Inserida em: 24/08/2014

Eleições 2014 - A mesmice do horário eleitoral

Iniciado na última terça-feira (19), o horário eleitoral que se estende até 2 de outubro, em nada mudou, exceto pela abertura com o PSB prestando uma homenagem ao ex- candidato à presidência da República, Eduardo Campos, que morreu em acidente aéreo, em Santos, no último dia 13. Aliás, a morte do presidenciável alterou o cenário das eleições, com a vice de Campos, Marina Silva, guinada à candidatura  à presidência, provocando, inclusive, revisão de estratégias dos principais candidatos à Presidência, como vem deixando claro os programas apresentados por Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT).

No mais, o horário eleitoral em nada mudou. As mesmas figuras com os velhos discursos, caras novas com frases de pouco efeito, figuras carimbadas chamando o povo brasileiro de ‘abestalhado’, outras na rabeira de alguns minutos de fama frente às câmeras de TV, mostrando o que pretendem e na pretensão nada que diga respeito à expectativa do grande eleitorado, outras ainda tentando falar (ler) qualquer coisa para preencher os segundos destinados ao partido, mas todos com uma só intenção: se eleger. Afinal em um país cujo salário mínimo é de R$ 724,00, abestalhado seria aquele que não almejasse um salário de cerca de R$140 mil com muitas mordomias.

É evidente que não estamos generalizando porque ainda acreditamos que mesmo com raras exceções, podemos encontrar  eleitos que fazem jus aos votos recebidos e que não fazem do polichinelo (exercício físico para alongar e aquecer músculos dos braços e pernas), função parlamentar como diz o palhaço Tiririca, pouco conhecido como  Francisco Everaldo Oliveira Silva, o deputado federal mais votado em 2010.

Tempo de propaganda – O tempo de propaganda no rádio e TV de cada coligação é definido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) com base em resolução que considera o número de partidos políticos ou coligações que solicitaram registro de candidato a presidente da República e a respectiva representação na Câmara dos Deputados.

Às segundas, quartas e sextas-feiras, o horário políticos destina-se aos candidatos a governador, senador e deputado estadual ou distrital, às 7h e às 12h no rádio e na TV, sempre a partir de 13h e 20h.

Às terças e quintas-feiras e aos sábados, destinam-se aos candidatos à Presidência da República, das 13h às 13h25 e das 20h30 às 20h55 na TV. No rádio, os programas serão transmitidos das 7h às 7h25 e das 12h às 12h25. Esses dias também são reservados aos candidatos a deputado federal, logo após a campanha  ao cargo majoritário.

O partido com mais tempo para a propaganda é o PT da presidente Dilma com 11 minutos e 24 segundos. A coligação de Aécio neves (PSDB) tem 4 minutos e 35 segundos e a do PSB, que agora terá a ex-senadora Marina Silva como presidenciável, ficou com 2 minutos e 3 segundos.  Pastor Everaldo (PSC), 1 min 10 s; Eduardo Jorge (PV), 1 min 04 s; Luciana Genro (Psol), 51 s; Eymael (PSDC), 45 s; Levy Fidelix, 47 s; Zé Maria PSTU, 45 s; Mauro Iasi (PCB), 45 s; e Rui Pimenta (PCO), 45 s.