Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Informe-se » Eleições

Presidenciáveis e o morno debate com a igreja

Voltar para listagem de Eleição Inserida em: 17/09/2014

Presidenciáveis e o morno debate com a igreja

Oito candidatos à Presidência da República participaram do debate promovido pela CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), na noite desta terça-feira (16), na cidade de Aparecida, interior de São Paulo.

Dos onze presidenciáveis, oito compareceram ao encontro arrastado na maior parte do tempo, com os candidatos medindo palavras. O debate esquentou quando se discutiu as denúncias de corrupção na Petrobras, envolvendo PT, PMDB e PP, partidos da base aliada do governo Dilma. Aécio usou o escândalo para atacar Dilma, que se defendeu. E tudo começou quando Aécio foi questionado pelo Pastor Everaldo (PSC) sobre o caso Petrobras.

A estratégia do Pastor Everaldo foi jogar a “deixa” para o candidato Aécio para dar início a uma grande discussão. Ao se posicionar, o tucano disse que “Os brasileiros estão envergonhados com aquilo que vem acontecendo com a nossa mais importante empresa pública, submetida a sanha de um grupo político que para se manter no poder permitiu que um vale tudo fosse feito na nossa maior empresa".

Candidata á reeleição, a presidente Dilma pediu e obteve direito de resposta, afirmando que sua gestão sempre teve tolerância zero com a corrupção. Quando tudo parecia voltar à morosidade que se arrastava o debate antes da discussão sobre a Petrobrás, o candidato Aécio Neves questionou a candidata do PSOL sobre educação, fazendo uma relação do convívio dado PSOL com o PT.

A representante do PSOL,  partiu para o ataque num revide inesperado. “Linha de auxiliar do PT uma ova! O PT aprendeu com o senhor!”, complementando a resposta dizendo que o PSDB  é o precursor do ‘mensalão’. Disse ainda em tom ríspido, que Aécio foi  protagonista de escândalo  envolvendo dinheiro público para construir um aeroporto em fazendas, próximas das fazendas da sua família. Disse ainda que as críticas ao PT eram "o sujo falando do mal lavado" porque “Empreiteiras que fizeram o escândalo de corrupção da Petrobras são as mesmas empreiteiras que financiam a sua campanha, financiam a campanha da Dilma, financiam a campanha da Marina”.

Aécio conseguiu direito de resposta. E partiu para o contra-ataque “Aprendi muito cedo que a ética e a política devem caminhar quase que como irmãs siamesas. Foi vencendo o radicalismo da candidata que aqui se apresenta sem propostas para o Brasil, construirmos uma obra no Brasil que é respeitada por todos os brasileiros da qual me orgulho imensamente".

Diante da reação de Luciana Genro, os ataques entre Dilma, Aécio e Marina mas pareceram conversa em voz alta e a essa altura os organizadores entendem que acertaram no formado do debate, com pouca interação entre os três principais candidatos. apenas um bloco destinado ao confronto direto entre os presidenciáveis. O debate promovido pela Igreja Católica teve abordagem sobre criminalização da homofobia e discriminaliização do aborto. Quanto as propostas de governo, quem sabe no próximo embate.

Participaram do debate, os candidatos: Aécio Neves (PSDB), Dilma Rousseff (PT), Eduardo Jorge (PV), José Maria Eymael (PSDC), Levy Fidelix (PRTB), Luciana Genro (PSOL), Marina Silva (PSB), Marina Silva (PSB) e Pastor Everaldo (PSC).  Faltaram ao encontro: Mauro Iasi (PCB), José Maria de Almeida (PSTU) e Ruy Costa Pimenta (PCO). (Texto:Silas Borges que acompanhou o debate transmitido ao vivo pelo Blog Esmael)