Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Informe-se » Eleições

PMDB rouba a festa dos tucanos

Voltar para listagem de Eleição Inserida em: 14/02/2012

Embora os prefeituráveis tenham sempre a cautela de se apresentarem como pré-candidatos, o fato é que a corrida sucessória já foi deflagrada e o tom dos discursos estão todos direcionados à sucessão municipal. Exemplo recente, em Santos, foi a posse do presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil, Montagem e Manutenção Industrial de Santos e Região (Sintracomos), Marcos Braz de Oliveira, Macaé, no dia 11 último, no clube Portuários.

Lá estavam o prefeito João Paulo Tavares Papa e seu candidato, o secretário de Assuntos Portuários e Marítimos, Sérgio Aquino, ambos do PMDB, e o Secretário Estadual de desenvolvimento tecnológico, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), deputado estadual licenciado e candidatíssimo à Prefeitura de Santos.

Apesar de a noite estar destinada ao congraçamento sindical, com a posse da nova diretoria dos trabalhadores da Construção Civil, o que se viu foi uma mostra do embate político que já se aproxima, com o peso de suas respectivas sustentações, alianças, e apoiadores.

Não se sabe por quais motivos, os tucanos aproveitaram a solenidade para a assinatura de um convênio, entre o Estado e o Sindicato para a capacitação de mão de obra no setor da construção civil.

Mas o que seria uma festa para os tucanos quase se transforma em pesadelo. Por um ato deliberado, pressão partidária ou falta de habilidade, o anfitrião da festa, Macaé, cometeu a indelicadeza de anunciar que, por estar ligado ao PDT, estava alinhado com a candidatura de Aquino, indicado de Papá. Foi o suficiente para fazer com o que o prefeito e Aquino abrissem um largo sorrido. Eufórico, ainda durante a fala de Macaé, Aquino se levantou da mesa dos trabalhos e foi abraçar o sindicalista.

No lado oposto, Paulo Alexandre ruborizou e quase afunda na cadeira. Seus assessores e em especial o presidente do diretório santista do PSDB, ficaram indignados e não conseguiam esconder o desconforto.

É bem verdade que antes, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de São Paulo, Antônio de Souza Ramalho, também tucano e suplente de deputado estadual, ao saudar os componentes da mesa, se referiu a Paulo Alexandre como jovem liderança e forte candidato à Prefeitura de Santos.

Encerrada a solenidade, quando se imaginava que Paulo Alexandre havia deixado o clube, este, teve a grandeza política de permanecer e cumprir o protocolo para a assinatura do convênio entre o Governo do Estado e o Sindicato.

Eraldo José dos Santos