Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Continua sem julgamento no TRT, greve na Usiminas

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2013-08-14 -15:32

Continua sem julgamento no TRT, greve na Usiminas

Em assembleia na manhã desta quarta-feira (14), foi aprovada a continuação da greve dos 4 mil operários das 15 empreiteiras que prestam serviços à Usiminas, iniciada em 5 de agosto.

Isso porque não houve contraproposta das empresas. As partes aguardam julgamento pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT-SP), ainda não marcado, até o final da manhã de hoje (4ª-feira 14).

Em audiência de conciliação no TRT, na quinta-feira passada (8), as empreiteiras pioraram a contraproposta, que já havia sido rejeitada em sucessivas assembleias, e retiraram o aumento real de 2,5%.

A categoria reivindica reajuste salarial com base no INPC IBGE, mais 8% de aumento real. E participação nos lucros ou resultados (plr) equivalente a um salário nominal e meio.

Na audiência de conciliação, as empresas retiraram o aumento real de aproximadamente 2,5%, que vinha sendo recusado em seguidas assembleias dos trabalhadores.

As empreiteiras propuseram apenas o reajuste com base no INPC IBGE, que será divulgado nos próximos dias e deverá girar em torno de 6,5%.

As empreiteiras são Activa, Convaço, Delta, Embasil, Enesa, Icthus, Magnesita, NM, Ormec, Perfecta, Reframom, Sankyu, Semag, Usimec e Veservice.

Macaé - Embora visivelmente melhor em relação aos últimos dias, o presidente do sindicato, Macaé Marcos Braz de Oliveira, segue internado, nesta quarta-feira (14), na Santa Casa.

Ele foi hospitalizado no final da tarde de quinta-feira (8), com pneumonia aguda e taxa de glicemia de 493. Macaé começou a passar mal na manhã de terça-feira (6), após uma assembleia na porta da Usiminas, onde 4 mil operários estão em greve.

Na quarta-feira (7), ele nem participou da assembleia. Na quinta (8), mesmo indisposto, o sindicalista participou de audiência de conciliação, à tarde, no (TRT-SP), onde não houve acordo a respeito da greve. Ao voltar de São Paulo, bastante debilitado, ele foi internado.

Além de Macaé, dois outros diretores do Sintracomos tiveram a saúde abalada pelas sucessivas exposições ao mau tempo durante noites e madrugadas seguidasem função das atividades sindicais relacionadas a situação dos empregados nas empreiteiras, no polo industrial de Cubatão.

Força Sindical - Sintracomos inscreve pessoal para grande loja de construção

O Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil, Montagem e Manutenção Industrial (Sintracomos) encerrou, na manhã desta quarta-feira (14), inscrições para emprego numa grande loja comercial do ramo.

Por questões contratuais, o nome da empresa não pode ser divulgado, mas ela está originalmente instalada na Praia Grande e ocupará ampla área na Av. Ana Costa, Vila Mathias, em Santos.

Os salários variam de R$ 993 a R$ 1.200, as inscrições abertas ao público em geral, com ensino médio completo e idade entre 18 e 45 anos, embora sem restrições.

As funções são de atendente, auxiliar de expedição e de recebimento, caixa, conferente, encarregado de depósito, líder de caixa, operador de empilhadeira, repositor e vendedor.

Também há vagas para supervisores administrativos, operacionais e de venda. A previsão de inauguração da loja em Santos é até novembro e o número de contratações será de 60 pessoas.

As inscrições duraram três dias, no Sintracomos (Rua Júlio Conceição, 102, Santos), por conta de convênio da empresa com a Força Sindical, onde Macaé exerce, desde 26 de julho, a terceira secretaria nacional de relações de emprego e qualificação profissional. (Redação: Paulo Passos; colaboração de Joca Diniz. Fotos de Vespasiano Rocha).

*Nas fotos. A diretora Bernadete Trajano fala aos grevistas (abertura-chamada) e na foto interna (matéria), os diretores Bernadete, Luiz Carlos Andrade (vice-presidente) e Índio José Francisco (diretor responsável pela subsede de Praia Grande) com os trabalhadores das empreiteiras.