Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Museu Pelé em Santos para o mundo

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2014-06-16 -01:34

Museu Pelé em Santos para o mundo

O Rei chegou de bonde, foi aplaudido de pé, falou pouco, segurou as lágrimas e finalmente abriu as portas do castelo com as peças mais importantes do tesouro acumulado ao longo de sua carreira esportiva, a  mais conhecida do mundo.

Estamos falando de Edson Arantes do Nascimento, o Rei Pelé que na manhã deste domingo (15), após anos de espera, inaugurou a reunião de peças de peças que o identificam ‘Atleta do Século’, o Museu Pelé, no Valongo, no Centro Histórico de Santos.

No bonde do Pelé estavam o vice-presidente da República, Michel Temer, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, os ministros Aldo Rebelo (Esportes), Marta Suplicy (Cultura), Vinicius Lages (Turismo) e Arthur Chioro (Saúde), do ex-governador José Serra, todos acompanhados do prefeito santista Paulo Alexandre Barbosa.

Com 1h50 de atraso a solenidade marcada para começar às 9h, no Largo Marques de Monte Alegre com a animação, até certo ponto exacerbada por parte da jornalista global Carla Vilhena, com a apresentação dos hinos Nacional e de Santos pela Banda Querô.

O homenageado dividiu o palco com as autoridades que o acompanharam no bonde, da Prefeitura ao Valongo e com o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, presidente da AmaBrasil, - responsável pela gestão do museu – José Luiz Aranha Moura e representante do Santander, Marcos Madureira.

Os craques do passado, companheiros de Pelé no Santos F.C. e na Seleção Brasileira,  Clodoaldo, Pepe, Manoel Maria, Edu, Lima e Dorval, como era de se esperar, não podia faltar ao evento, como também não poderia deixar de ser, foram aplaudidos entusiasticamente ao serem chamados ao palco, juntamente com alguns dos atuais ‘Meninos da Vila’.

Fã número 1 – Segundo a mestre de cerimônia, Carla Vilhena, a presidente Dilma  é a fã número 1 do Rei Pelé e foi como tal que teve o depoimento, especialmente gravado para a ocasião, que foi apresentada.

“As façanhas imortais  de nosso maior esportista...” assim a presidente falou orgulhosa dos de Pelé, ressaltando que os feitos  do Rei estão na memória do povo brasileiro e que é de reconhecimento mundial  os 1.281 gols dele, o maior artilheiro  da história do futebol, citando, inclusive Carlos Drumond de Andrade, que disse: “Difícil não é fazer mil gols como Pelé, mas fazer um gol como Pelé”. Finalizando o depoimento, a presidente Dilma disse que ao atleta que superou preconceitos e projetou o Brasil, um museu é uma justa homenagem que seu governo e a sociedade brasileira lhe presta.

Animando a plateia – Após o depoimento da presidente, o prefeito Paulo Alexandre Barbosa, ao cumprimentar os presentes resolveu animar a plateia que apesar do sol forte, ainda estava um pouco ‘morna’. Para isso repetiu o sonoro BOM DIA e foi correspondido na animação, para em seguida saudar as autoridades presentes, entre elas, o prefeito da cidade natal de Pelé, Três Corações (MG), Cláudio Cosme Pereira dos Santos e a vice-presidente da Costa Rica, Laura Chinchilla Miranda.

Em seu discurso, o prefeito falou de fatos marcantes da história de Santos que se cruzaram em agosto de 1956, quando Pelé chegou ao Santos FC, estreando um mês depois em agosto, contra o Esporte Clube Corinthians e marcando dois dos 7 X1 do “Peixe”.

Paulo Alexandre não tem dúvidas de que “Pelé vai trazer o mundo para Santos por terra, inclusive por ciclovia, há outras duas entradas, lembrando que o VLT em poucos meses estará em funcionamento; por ar pelo futuro aeroporto de Guarujá e também heliponto nas instalações da Petrobras aqui no Valongo, e por mar”.

Futuro - Quando o governador Geraldo Alckmin começou a falar, o Rei Pelé já não conseguia segurar o choro e a primeira lágrima furtiva rolou. “Pelé é uma emulação, sinônimo de craque ...” lembrando-o como parte do grande ataque do Santos FC (seu time) formando por Dorval, Mengálvio, Coutinho, Pelé e Pepe, relacionando a importância do equipamento que leva o nome do rei “O museu vai ajudar a revitalizar a região. Dentro de 10 a 15 anos essa área (Valongo) será uma grande região...”.  Ao final bradou “Viva Pelé”, no que foi prontamente seguido pela plateia.

Revelação – Representando a presidente Dilma Rousseff, o vice Michel Temer, chamado de embaixador da região, pelo prefeito Paulo Alexandre, foi breve. Enalteceu a carreira do Rei, salientando que ele tem o nome escrito definitivamente na história do Brasil e fez uma revelação: “A presidente Dilma colocou a região no PAC da Mobilidade (Programa de Aceleração do Crescimento) por você Pelé que fez campanha para que o Brasil sediasse a Copa do Mundo e as Olimpíadas de 2016”.

Respondendo ao prefeito santista sobre qual o time de sua preferência, Temer não titubeou “Meu time é o São Paulo, mas hoje, meu time é o Pelé”.

Sua majestade – Aplaudido de pé, bastante emocionado, o Rei Pelé pediu parar, para não começar a chorar.

Pelé ao agradecer a homenagem disse da importância de receber uma homenagem em vida.  “ Enquanto em vida, as pessoas às vezes é criticada e quando morre, dizem: era tão bom. Por isso agradeço ...”

Em sua fala Pelé mais uma vez fez questão de falar de sua gratidão à cidade de Santos “...foi daqui que saí” e falou de sua primeira viagem com a Seleção à Bélgica.  “Ninguém conhecia o Brasil, associavam o país à Argentina, ou confundiam com a Amazônia. Isso me deixou surpreso e aborrecido. Hoje, todo mundo está voltado para o Brasil. Isso me faz feliz”.

A casa do rei – Dois prédios de estilo neoclássico separados por um vão central, em nada lembra o casarão construído em 1865, e foi sede da prefeitura e da Câmara e que nas últimas décadas estava em total decadência.  Por fora o espaço manteve as características arquitetônicas originais dos casarões do bairro do Valongo, tomados pelo Condephaat e pelo Condepasa, por dentro, lembranças de toda uma carreira conhecida internacionalmente.

Um dos blocos, destinado às exposições, ganhou sete pavimentos que podem ser percorridos por meio de rampa e elevadores. No térreo, mostra permanente de 180 itens do acervo de Pelé (objetos pessoais, áudios, fotos, filmes, troféus e material impresso). Nos mezaninos, exposições temporárias Nos dois últimos andares (mezaninos), uma exposição sobre a restauração do local.

No outro bloco, uma área interativa à disposição dos visitantes e uma galeria que  abriga a exposição de fotos feitas pelo saudoso fotógrafo José Dias Herrera que acompanhou a carreira de Pelé desde seu primeiro dia em Santos, onde chegou aos 15 anos; abriga também uma brinquedoteca, um auditório e a Sala do Rei, onde Pelé receberá fãs, jornalistas e convidados.

Acervo -  São 2545 objetos no acervo, sendo 110 na mostra permanente. Um dos itens mais significativos não é de ouro e nem mesmo foi entregue por uma autoridade. Mas é a peça que melhor representa a trajetória do menino humilde que se tornou uma das figuras mais conhecidas do mundo. Feita de madeira e com mais de 60 anos de história, a caixa de engraxate utilizada pelo menino Edson Arantes do Nascimento para ganhar os primeiros trocados em Bauru (SP) pode ser considerada o marco zero do conjunto. De relíquias da infância  a Taça Jules Rimet (réplica), uma coroa de ouro  até medalha da Ordem de Cavalheiro do Império Britânico, detalhes da história de vida do Rei do Futebol.

Serviço - O Museu Pelé fica no Largo Marque de Monte Alegre, bairro Valongo.

- Funcionamento: de terça a domingo, das 10h às 18h.  Funcionará excepcionalmente nesta segunda-feira (16), das  13h às 18h e na terça-feira (17), excepcionalmente, das 10 às 14h.
- Ingresso: R$ 18,00.
- Meia entrada: estudantes em geral, professores da rede pública, pessoas com deficiência e idosos com 60 anos ou mais.
- Entrada livre: crianças até 10 anos acompanhadas dos pais ou responsáveis, e estudantes da rede pública (Ensino Fundamental e Médio). (Fotos: Raimundo Rosa/PMS)