Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Jeito TAMTAM de ser, pioneiro na inclusão, é homenageado pela ALESP

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2014-07-06 -23:53

Jeito TAMTAM de ser, pioneiro na inclusão, é homenageado pela ALESP

O Projeto TAMTAM, uma iniciativa pioneira na inclusão e que atende atualmente 180 crianças, jovens, adultos e idosos portadores, ou não, de múltiplas deficiências, foi recentemente homenageado pela Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo. A deputada Telma de Souza (PT) foi autora da iniciativa e que por ocasião da solenidade revelou que já está em andamento na Assembleia processo visando conceder ao TAMTAM, o título de utilidade pública estadual.

Homenagem - A homenagem da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (ALESP) aconteceu há uma semana, no 3º andar do Teatro Municipal Brás Cubas (Santos) em comemoração aos 25 anos do Projeto, a serem comemorados em setembro próximo.

A cerimônia proposta pela deputada Telma que contou com a participação de autoridades federais, estaduais e municipais, reuniu mais de 200 pessoas que acostumadas à irreverência do TAMTAM, estavam muito à vontade para interferir e promover a quebra do protocolo  que se manteve intacto, apenas  durante o Hino Nacional. Dalí em diante, a presidente da mesa, deputada Telma, se entregou à deliciosa maneira de ser “tamtam”, e conduziu uma das mais alegres e participativas solenidades.

Liderado pelos arte-educadores Renato Di Renzo e Cláudia Alonso – homenageados junto com o projeto - o TAMTAM,  recebeu uma placa que destaca a organização como “marco da reforma psiquiátrica e palco permanente da inclusão por meio da arte”. A placa foi entregue por Telma, prefeita de Santos, quando da criação do Projeto.

Utilidade Pública – A deputada Telma informou que o processo para que a ALESP conceda o título de Utilidade Pública já está em andamento e ela acredita que, até o final do ano a ONG será contemplada, possibilitando, entre outros benefícios, a isenção de impostos e a possibilidade de recebimento de recursos para o desenvolvimento das atividades. “O título vai auxiliar muito a caminhada desta entidade que é uma referência no Brasil e no Mundo”, completou Telma, que acredita que o TAMTAM também receberá o título na esfera federal. 

Lembrou a deputada, que apesar de todo o serviço em prol da inclusão social na cidade, e que já atendeu milhares de pessoas, o TAMTAM luta com dificuldades para manter a assistência dos atuais 180 alunos, de crianças a idosos que, diariamente, aprendem a vencer o preconceito e a discriminação.

Embora seja reconhecida como de utilidade pública municipal, a ONG não tem convênio, subvenção ou qualquer apoio financeiro, mesmo já tendo conquistado diversos prêmios dentro e fora da Cidade. O único apoio público advém da ocupação do espaço no Teatro Municipal Brás Cubas onde fica o Café Teatro Rolidei, um espaço de apresentações e aulas.

Medalha – Na ocasião, o vereador santista Carlos Teixeira Filho (Cacá) do PSDB, anunciou que a ONG receberá, ainda este ano, a Medalha Brás Cubas, alta honraria da Câmara Municipal de Santos, pelos relevantes serviços prestados o processo de  inclusão.

Entre os presentes ao evento, além da deputada Telma de Souza, a deputada Maria Lúcia Prandi (PT), o secretário de Cultura de Santos, Raul Christiano, o ex-prefeito João Paulo Tavares Papa (PMDB), os vereadores santistas Evaldo Stanislau, Cacá Teixeira e Murilo Barleta  e o vereador de Itanhaém, Conrado Carrasco, ex-participante  do TAMTAM e a presidenta da ONG Associação Projeto TAMTAM, Izilda Fernandes Coelho, autoridades militares, pais e amigos dos integrantes do Projeto.

Início – O Projeto TAMTAM idealizado pelo Arte Educador e Pedagogo Renato Di Renzo,  teve início na extinta Casa de Saúde Anchieta em 1989, com o objetivo de promover saúde mental, prevenção às doenças, educação, acesso a arte e cultura, diversidade e inclusão social. Isso aconteceu logo após a intervenção pública municipal na Casa de Saúde Anchieta, onde os pacientes eram tratados de forma ultrapassada que incluía a aplicação de choques elétricos.

Di Renzo propunha uma Sociedade Inclusiva. O TAMTAM com intervenções urbanas e ações junto à população, desenvolveu um trabalho junto a portadores de múltiplas deficiências que virou modelo nacional e internacional e foi motivo de matérias nas mais diferentes publicações nacionais e estrangeiras. A Rádio TamTam, uma das ações de maior destaque, cujos pacientes da Casa Anchieta eram os produtores e apresentadores da programação.

Desde 2003, a ONG funciona no terceiro piso do foyer do Teatro Municipal de Santos (Av. Pinheiro Machado, 48  na Vila Mathias), local batizado de “Espaço Sócio Cultural e Educativo Café Teatro Rolidei” onde tudo que existe é fruto do trabalho dos próprios alunos por meio de reutilização de objetos.

As atividades gratuitas que complementam o processo de aprendizado formal e as terapias também “formais” são desenvolvidas com atividades diversas, como Teatro, Jazz e Ballet, Capoeira, Reciclagem, Literatura, Rodas de conversa. Além desse trabalho, há o Grupo de Arte Orgone, que aprimora a formação em Artes Cênicas, oportunizando formação para o trabalho, também sob a direção de Di Renzo.

 

Para esse atendimento gratuito, o local é palco de apresentações teatrais e musicais aos sábados, quando parte do que é arrecadado durante essas noites, destina-se à manutenção, limpeza, figurinos, material para o trabalho diário, cenários, alimentação, etc. Essas noites de “festa” são a única fonte de renda da instituição. Como não há verba oficial, a Associação TAMTAM conta com um grupo de seis voluntários que atende os alunos, e beneficiários indiretos, entre familiares, amigos, vizinhos e colegas do universo tamtam de ser. (Fotos: Divulgação)



.