Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Sistema de coleta de lixo inadequado deixa ruas na sujeira

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2014-07-22 -15:00

Sistema de coleta de lixo inadequado deixa ruas na sujeira

Alguns moradores do bairro Areia Branca em Santos, passaram um fim de semana de muito lixo e mau cheiro. Os contentores de lixo deixados pela empresa Terracom nas vias do bairro, entre elas a  Rua Francisco Lourenço Gomes não suportaram a grande demanda e o lixo ganhou as ruas e calçadas.O mesmo se verificou na Praça Nicanor Ortiz.

Sem serem esvaziados desde sexta-feira (18), os contentores só tiveram o lixo recolhido ontem (segunda-feira - 21), após as 19h, deixando por quatro dias, o ar insuportável nas ruas e no interior de algumas residências, escolas e até na Unidade Básica de Saúde localizada na Rua Francisco Lourenço Gomes.

Como se não bastasse o mau cheiro, as moscas também invadiram as residências. Com o lixo se espalhando por ruas e calçadas, cães em busca de restos de comida rasgaram as embalagens espalhado toda sorte de detrito.

Na segunda-feira (21) por volta das 17h, o cenário junto à Unidade Básica de Saúde era terrível.

Não é recente o transtorno vivido por moradores do bairro devido ao acumulo de lixo, mas nos últimos dias a situação piorou muito. Eles reclamam que além do sistema inadequado adotado pela equipe de coleta de lixo (não esvaziam os contentores enquanto não estiverem cheios por completo), as margaridas (funcionárias responsável pela varredura de ruas) sumiram.

“Em todas as ruas próximas à Praça Nicanor Ortiz onde tem um parquinho de areia para as crianças e duas escolinhas a situação é igual: os contentores são esvaziados somente quando estão transbordando, não aparece ninguém para limpar, varrer a sujeira. Os moradores é que fazem essa limpeza, mas o pior acontece junto à unidade de saúde, onde um contentor é deixado na porta. Justo ali (Unidade da Família) onde  é necessário maior higienização para evitar moscas, mau-cheiro e qualquer tipo de contaminação”, diz  o morador Rubens Oliveira.

Segundo Rubens, no bairro Areia Branca, a limpeza das ruas só é feita quando chove.

Qualidade de vida – O morador comenta que os parâmetros que definem a qualidade de desenvolvimento de uma cidade não se aplicam em Santos.

“È preciso rever os conceitos que colocaram Santos entre as cidades com bons níveis de desenvolvimento humano. Não há desenvolvimento humano, muito menos qualidade de vida, quando parte da população convive com um problema desse: lixo esparramado pelas ruas e calçadas, contribuindo para o surgimento de doenças. Pior ainda, deixar que a sujeira tome conta da porta de um posto de saúde”.

Em 2010, Santos, segundo o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento ocupava o 6º lugar entre os municípios brasileiros com melhor índice de desenvolvimento humano. (Fotos: Rubens Oliveira)