Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Acordo evita greve de 8 mil trabalhadores

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2014-08-25 -23:38

Acordo evita greve de 8 mil trabalhadores

Por meio de comunicação pessoal e consecutiva com os trabalhadores e os representantes das 15 empreiteiras que prestam serviços à Usiminas Cubatão, o presidente do Sintracomos, Macaé Marcos Braz de Oliveira, conseguiu, na manhã desta segunda-feira (25), fechar acordo para a data-base de agosto.

A assembleia do Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil, Montagem e Manutenção Industrial, na portaria da siderúrgica, começou às 8h. Logo após a categoria rejeitar proposta conciliatória do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-SP), feita na semana passada, Macaé apresentou uma sugestão intermediária com a reivindicação original.

Como os trabalhadores aceitaram, o sindicalista desceu do caminhão de som e foi até o salão de reuniões da Usiminas, onde o aguardavam os representantes das empreiteiras, que prontamente aceitaram a nova proposta. Evitaram, dessa forma, uma greve dos 8 mil trabalhadores, por tempo indeterminado.

A categoria terá correção salarial de 8%, diante da inflação de 6,23% em 12 meses. A participação nos lucros ou resultados passa de R$ 981,00 para R$ 1.100,00 com reajuste de quase 12%.

A cesta-básica integral vai de R$ 109,00 para R$ 150,00 com reajuste de 37% e agora não mais dependente do número de faltas do empregado.

A sugestão do TRT era de 7,93% sobre o salário e a ‘PLR’, que passaria de R$ 900 para R$ 972,00 com cesta-básica de R$ 120,00.

A greve - Em assembleia na quinta-feira da semana retrasada (14), os trabalhadores rejeitaram contraproposta das empreiteiras, apresentada dois dias antes, e aprovaram a greve por tempo indeterminado.

Na negociação do dia 12, elas haviam oferecido correção salarial de 7,23%, na data-base de agosto, extensiva à cesta básica, mais participação nos lucros ou resultados (PLR) de R$ 1.040,00.

A assembleia insistiu na correção salarial de 10%, ‘plr’ de 1,3 salário e cesta-básica de R$ 300, aprovadas na semana retrasada, quando decretou o ‘estado de greve’.

A data de início da greve foi comunicada às empresas na segunda-feira (18), pois na sexta (15) foi feriado em Cubatão. Pela lei de greve (7783-1989), a paralisação poderia ter começado na sexta-feira (22). A assembleia acatou a sugestão do presidente do sindicato, de começar a greve nesta semana, o que segundo o presidente Macaé  “aumentou a chance de um acordo negociado, evitando o movimento”. (Redação e Fotos: Paulo Passos)