Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Estivadores se reúnem com Aécio Neves nesta quarta-feira

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2014-10-14 -02:53

Estivadores se reúnem com Aécio Neves nesta quarta-feira

Liderados pelo presidente do Sindicato dos Estivadores de Santos e região, Rodnei Oliveira da Silva (foto), os portuários de Santos entregarão a ao candidato à Presidência da República Aécio Neves (PSDB), uma pauta de reivindicações, entre elas a volta da aposentadoria especial e a revogação do artigo 44 da Lei dos Portos -12.815/2013.
 
Sancionado pela presidente Dilma Rousseff em junho do ano passado, o marco regulatório para o setor facultou aos titulares das instalações portuárias sujeitas ao regime de autorização a contratação de trabalhadores por prazo indeterminado, observado o disposto nos contratos, convenções ou acordos coletivos de trabalho.
 
De acordo com Rodnei, os portuários estão insatisfeitos com a mobilização patronal junto aos dois postulantes (Aécio e Dilma) ao cargo máximo da Nação. "Estão querendo revogar alguns direitos e conquistas que obtivemos com a nova lei e isso nós não vamos permitir".

O sindicalista se refere à proposta encaminhada pelo presidente da Associação Brasileira de Terminais Portuários (ABTP), Wilen Manteli, no mês passado, a Aécio Neves e Dilma Rousseff (PT), além de Marina Silva (PSB), já fora da disputa. No documento, os empresários do setor reivindicam mudanças nos principais itens do ordenamento vigente, inclusive a livre contratação de trabalhadores fora ou dentro do porto organizado.
 
Para o líder dos estivadores de Santos, a propositura da ABTP é sinônimo de retrocesso para o setor. "É navegar para trás e um grande desrespeito com o País, que praticamente parou no primeiro semestre de 2013 por conta do difícil processo que antecedeu a promulgação da Lei dos Portos, sem falar na histórica votação no Congresso Nacional com mais de 20 horas de duração", lembrou o dirigente sindical, ressaltando que o presidente da ABTP foi um dos artífices da Medida Provisória 595 e da atual norma.
 
O dirigente sindical reclama que os trabalhadores foram excluídos e marginalizados no documento formulado pela ABTP. "Falam em investimentos de R$27 bilhões, querem segurança jurídica, projetos faraônicos com instalações e equipamentos de última geração, mas ao mesmo tempo querem causar um caos social nas cidades portuárias com o subemprego e terceirização das atividades".
 
Recém-reeleito para mais um mandato (2015 - 2017) à frente da categoria, o sindicalista agradece o apoio do prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa PSDB), e do deputado federal (Solidariedade) Paulo Pereira. "Não mediram esforços para viabilizar o encontro e provaram mais uma vez que são parceiros da família estivadora".
 
Além de Rodnei e demais diretores do Sindestiva, cerca de 90 estivadores se dirigem à capital paulista em dois ônibus fretados para participar do encontro. O encontro será Clube Esperia  (Av. Santos Dumont, nº 1313, no bairro Santana, São Paulo. (Redação: Nelson Giulio. Foto: Arquivo EA)