Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Registrado quarto óbito do ano na construção da Baixada

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2014-11-04 -15:53

Registrado quarto óbito do ano na construção da Baixada

Acidentado há cerca de 50 dias, morreu, aos trinta minutos (0h30) desta segunda-feira (3), na Santa Casa de Santos, o trabalhador da construção civil predial Francisco Antônio de Alencar. É o quarto óbito na região.

Ele caiu de uma das oito pequenas casas geminadas e sobrepostas em construção na Rua José Gonçalves da Mota Júnior, 9, no bairro Marapé, no início de setembro.

Segundo a diretora do Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil, Montagem e Manutenção Industrial de Santos e região,  Maria Bernardete Trajano, Francisco Alencar era aposentado por invalidez.

“Consta ainda que ele tinha problemas cardíacos e labirintite, o que também seriam motivos impeditivos para o trabalho que executava no momento da queda”, pondera a sindicalista, ressaltando que houve três quedas na obra, desde o começo do ano, inclusive do engenheiro responsável e proprietário dos imóveis. Francisco deixa mulher e três filhos menores.

Semana passada - Na quinta-feira da semana passada (30 de outubro), o soldador Aldo Sebastião Bispo, de 60 anos, morreu na obra do edifício ‘Green Garden’, ainda em fase inicial, na Av. Almirante Cóchrane (canal 5), 175.

Após ser atingido pela queda de um muro, ele foi removido para o pronto-socorro da Zona Leste, com parada cardiorrespiratória, politraumatismo, trauma crânio encefálico e hemorragia no ouvido.

O vice-presidente do sindicato, Luiz Carlos de Andrade, esteve no local, logo após o acidente. O soldador trabalhava para a empreiteira Fundamenta, contratada pela construtora Aliança.

Terceiro - Esse foi o terceiro acidente fatal no setor em 2014. Em 6 de outubro, morreu o trabalhador Wellington Monteiro, na montagem de um elevador de açúcar, no armazém 16 do porto de Santos.

Ele trabalhava para a RDC Construtora e Incorporadora, no armazém da Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), arrendado à Copersucar.

Usiminas - Em 29 de janeiro, na Usiminas, em Cubatão, morreu o soldador Paulo Dias de Moura, de 58 anos, após cair de uma plataforma de 30 metros.

(Redação: Paulo Passos. Foto: Vespasiano Rocha)]