Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Banha aponta falhas de empresa contratada pela Prefeitura

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2014-12-05 -01:00

Banha aponta falhas de empresa contratada pela Prefeitura

O vereador Antonio Carlos Banha Joaquim (PMDB) manifestou preocupação com a contratação da empresa Fortnort Construtora pela Prefeitura para a realização de 58 quilômetros de obras de pavimentação e drenagem na Zona Noroeste.

A empresa é a mesma que há quatro anos vem realizando as obras na Rua João Pessoa, sem que as tenha concluído, e cujos resultados são alvo de inúmeras críticas. Banha enfatiza que confia nas intenções do prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), mas ressalta que obras realizadas pela Fortnort na Cidade, em gestões passadas, não foram concluídas a contento.

O parlamentar cita a reurbanização da Rua João Pessoa e as reformas no colégio Avelino da Paz Vieira. Por isso já requereu junto à Prefeitura cópia de inteiro teor de todas as obras realizadas nos últimos cinco anos pela mesma empresa.

“O administrador deve voltar o olhar ao passado para refletir sobre erros, acertar e construir no presente para que o futuro seja promissor”. Banha acrescenta que “a Fortnort não pense que o povo é bobo para fazer de Santos o quintal de sua casa”.

Outro aspecto ressaltado pelo vereador diz respeito às expectativas dos moradores da Zona Noroeste. “Constantemente aquela população vem sendo bombardeada por promessas e, no momento em que se vislumbram realizações, não pode ficar à mercê de empresas que atuam de forma temerária”.

Neste sentido o vereador diz que o prefeito agiu com acerto ao cancelar licitação para a compra de hortifrutis para a alimentação dos bichos do Orquidário, diante dos fortes indícios de superfaturamento.

“É importante a banana para o macaco, o ovo para o lagarto e o mamão para o azulão, mas é preciso estar atento para que situações desajustadas não contaminem um trabalho sério”, comentou o vereador. E alertou: “É preciso muito cuidado com os ratos magros, pois estes são acometidos de uma fome insaciável e saem roendo tudo o que encontram”.

Com valores até seis vezes maiores que o de mercado, empresa ganha licitação para fornecer alimentos (frutas legumes e verduras) aos animais do Orquidário. Após denúncia, Prefeitura cancela o ato.