Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Trabalhador da Tomé aceita 10% e evita greve na RPBC

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2015-02-11 -09:18

 Trabalhador da Tomé aceita 10% e evita greve na RPBC

Pelo menos 2 mil operários de uma das 85 empreiteiras que operam no polo industrial de Cubatão e Baixada Santista já descartaram a greve a partir de quarta-feira próxima (13).
São os empregados da Tomé Engenharia, que aceitaram 10% de correção salarial, 25% de aumento no tíquete alimentação e participação nos lucros ou resultados (plr) correspondente a um salário mais 30%.
Em assembleia na manhã de sexta-feira passada, diante da refinaria Presidente Bernardes, da Petrobras, eles concordaram com a defesa da proposta, feita pela diretoria do seu sindicato.
Macaé Marcos Braz de Oliveira, presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil, Montagem e Manutenção Industrial (Sintracomos), considerou o resultado “positivo”.
“Vamos ver agora se as demais empresas seguem pelo mesmo caminho, apresentando propostas iguais ou melhores, para evitar a greve a partir da semana que vem”, pondera o sindicalista.
Menos de 13 horas após a decretação da greve, a direção da ‘Tomé’ telefonou ao presidente do Sintracomos, e logo em seguida mandou ofício com a contraproposta.
A greve foi decretada na noite de quarta-feira (6), na subsede cubatense do sindicato, em assembleia que rejeitou reajuste salarial de 7% na data-base de maio.
O reajuste de 25% eleva o tíquete alimentação de R$ 20 para R$ 25 por dia trabalhado. A proposta das 85 empreiteiras, rejeitada na quarta-feira (6), reajustava o tíquete e a ‘PLR’ em apenas 7%.
O sindicalista alerta que se as demais empreiteiras não apresentarem contraproposta satisfatória, estarão paradas a partir de quarta-feira (13). As assembleias obedecem aos critérios da lei de greve (7783-1989). (Redação: Paulo Passos. Foto de Vespasiano Rocha)