Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Baixada Santista – Mobilização pelo emprego

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2015-11-04 -01:31

Baixada Santista – Mobilização pelo emprego

O anúncio de que a Usiminas não mais produzirá aço na unidade de Cubatão e em consequência demitirá 4 mil pessoas, provocou mobilização de políticos e sindicalistas da região, que nesta terça-feira (3), discutiram estratégia na tentativa de barrar a iniciativa.

Na primeira reunião do dia, o Condesb – Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista, definiu o pedido de suspensão do fechamento e demissões por 120 dias.

A prefeita de Cubatão, Marcia Rosa (PT) que também participou da reunião extraordinária do Condesb, se reuniu com representantes do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp/Cubatão), representantes do Polo Industrial, deputados estaduais e federais, vereadores e várias entidades, entre elas o  Sindicato dos Metalúrgicos. E nesta quarta (4), Marcia Rosa vai à Brasília onde se reunirá com o ministro do Trabalho e da Previdência, Miguel Rosseto.

A prefeita que estará acompanhada de um representante do Ciesp e do presidente do Sindicato dos Siderúrgicos e Metalúrgicos da Baixada Santista, Florêncio Resende de Sá, alertará para os graves reflexos para Cubatão e consequentemente, Baixada Santista, caso a decisão da empresa de suspender operações seja mantida.

 Condesb – Reunindo prefeitos, deputados, membros do governo estadual, lideranças sindicais e representantes da sociedade civil, o Condesb- Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista, por meio de moção pública (Carta da Baixada Santista) solicita à Unsiminas  que não suspenda a produção de aço na usina em Cubatão, nem demita  trabalhadores por um prazo de 120 dias. A estratégia foi definida em reunião extraordinária do Conselho, realizada na sede da Agência Metropolitana da Baixada Santista (Agem).

Neste encontro ficou definido também, que membros do Condesb participarão de encontro com o presidente da Usiminas, Romel Erwin de Souza, agendado para esta quinta-feira (5/11), às 15h, na Prefeitura de Cubatão.

Comissão – Na reunião realizada na Agem o prefeito de Praia Grande, Alberto Mourão (PSDB) propôs a criação de uma comissão para estudar o problema, estabelecendo um plano de ação para que a Usina não encerre a produção de aço. “Nossa meta é encontrar meios de a empresa continuar produzindo, conversando com o conselho e com o Governo do
Estado, para levantar possibilidades de redução de custo de insumos, o que pode ser uma saída para a crise em que a Usiminas se encontra”.

Compromisso – O prefeito santista, Paulo Alexandre Barbosa (PSDB), presidente do Condesb, afirmou que autoridades da região atuarão coletivamente no enfrentamento da questão. “Temos o compromisso de encontrar soluções que evitem o fechamento da usina e o corte de empregos de milhares de trabalhadores”

Após o encontro com direção da Usiminas, a proposta é levar as questões às autoridades estaduais e federais para que seja analisada a viabilidade das propostas pelo Estado e pela União.  “A expectativa é de retomada econômica no próximo ano. Por isso, nossa função, nesse momento, é evitar esse corte de empregos”, afirmou o vice-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Márcio França (PSB), durante a reunião do Condesb, afirmando, ainda, que o Governo do Estado estará aberto ao debate de propostas que ofereçam solução para o problema. França, juntamente com o deputado federal Marcelo Squassoni, participou também da reunião à tarde, na Prefeitura de Cubatão.

A reunião extraordinária do Condesb, que contou com a presença de representantes dos nove municípios, deputados estaduais (Caio França-PSB e Paulo Correa Junior) e federais (João Paulo Papa – PSDB, além de Marcelo Squassoni -PRB), o vice-governador do Estado Márcio França (PSB), representantes de órgãos do Estado e da sociedade civil, foi uma das mais concorridas, tal a preocupação com o impacto que a desativação de setores da Usiminas e a demissão em massa, causará à região.  (Fotos: Isabela Carrari/PMS)