Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Termina greve de nove dias na Codesavi

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2015-11-19 -10:40

Termina greve de nove dias na Codesavi

Os 1.250 empregados da Companhia de Desenvolvimento de São Vicente (Codesavi), em greve há nove dias, retornaram ao trabalho na manhã desta quinta-feira (19), após nove dias em greve.

Em assembleia do Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil (Sintracomos), encerrada às 9 horas, a categoria aceitou proposta conciliatória do Tribunal Regional do Trabalho (TRT-SP).

A proposta do juiz Wilson Fernandes, feita em audiência de instrução e conciliação, na tarde de quarta-feira (18), em São Paulo, foi aceita por unanimidade, com os trabalhadores de mãos dadas.

“Foi emocionante e gratificante sentir a unidade dos companheiros e companheiras neste momento histórico de lutas na Codesavi”, disse o presidente do sindicato, Macaé Marcos Braz de Oliveira.

O sindicalista destaca o “surgimento de uma solidariedade dos empregados operacionais com os comissionados, antes inexistente. Havia até uma rixa, felizmente superada na luta. Agora, somos mais fortes”.

Logo após a assembleia, os trabalhadores retornaram às atividades, conforme proposta do juiz para pagamento dos dias de greve, pela empresa, integralmente, sem compensações.

A proposta  - O primeiro item do documento do TRT diz respeito ao tíquete-alimentação de todos os empregados, de R$ 393 (administrativos) e R$ 456 (operacionais). O juiz propôs o pagamento do total aproximado de R$ 600 mil até 25 de novembro. O benefício está atrasado desde o dia 10.

O segundo ponto é de interesse dos cerca de 300 empregados que estão com três salários atrasados. Parte deles é de concursados e outra, ocupantes de cargos em comissão. O juiz propôs o pagamento do débito em seis parcelas iguais.

Para o primeiro grupo, dos concursados, o magistrado indicou o saldo das parcelas junto com os salários, entre dezembro e maio. Ao segundo grupo, pagamento sempre no dia 15 desses mesmos meses ou no primeiro dia útil subsequente.

O não pagamento das parcelas ou dos salários nas datas estipuladas implicará em multa de 30% sobre os valores não pagos, além de vencimento antecipado do débito, segundo a proposta do juiz, aceita pelo presidente da Codesavi.

O desembargador garantiu estabilidade de 60 dias para a maioria dos empregados e até maio para os que estão com os salários atrasados. Determinou também o pagamento dos dias parados com o retorno imediato ao trabalho.

MPT - As pendências do fundo de garantia (FGTS) e dos programas de integração social (PIS) e formação do patrimônio do servidor público (PASEP) serão tratadas no Ministério Público do Trabalho (MPT).

O MPT notificou o Sintracomos e a Codesavi para comparecerem em audiência, na segunda-feira da próxima semana (23), às 15h30, na procuradoria da Rua Brás Cubas, 190, Santos.

A notificação da audiência, requerida pelo Sintracomos e assinada pelo procurador do Trabalho Augusto Grieco Sant’anna Meirinho, foi entregue à empresa e ao sindicato na tarde de sexta-feira (13).

Assembleia - A assembleia desta quinta-feira (19), foi na base operacional da empresa, mais conhecida por ‘fábrica’, na esquina das avenidas Mascarenhas de Morais e Nações Unidas, Vila Margarida.

Estavam paralisados os serviços de varrição de praias, passeios, ruas, avenidas, praças, limpeza de canais, galerias pluviais, recolhimento de entulhos, cata trecos, tapa buracos e reparos em equipamentos municipais.

Os salários de 950 empregados diretos da Codesavi foram pagos na quarta-feira (11), após pressão do sindicato e da greve. O plano de saúde, por sua vez, foi restabelecido na segunda-feira (16).

A empresa deve ao sindicato R$ 1 milhão, 252 mil e 214, por quatro meses de pagamento do plano de saúde. A entidade pagou as mensalidades para garantir o atendimento dos trabalhadores. (Foto de Vespasiano Rocha)