Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Prefeitos pedem ajuda do Estado no combate ao Aedes aegypti

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2015-12-09 -01:52

Prefeitos pedem ajuda do Estado no combate ao Aedes aegypti

 Prefeitos da região estiveram reunidos nesta terça-feira (8), com o secretário de Saúde do Estado de São Paulo, Davi Uip para discutir a crise na saúde, agravada com a incidência do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika vírus e chikungunia.

Antecedendo a reunião, os prefeitos, por intermédio do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista (Condesb), haviam encaminhado à Secretaria Estadual de Saúde, proposta para a contratação de frentes de trabalho, por meio da Secretaria de Estado de Relações do Trabalho, visando o combate ao mosquito durante o Verão. As contratações irão reforçar as equipes de Saúde que já atuam nos municípios.

O encontro desta terça, foi solicitado pelo prefeito de Santos e presidente do Condesb, Paulo Alexandre Barbosa. O Governo do Estado ficou de avaliar a proposta.

Força-tarefa – A ação do Aedes aegypti tem preocupado tanto, que até a polícia está em seu encalço. O Governo do Estado anunciou que fará uma força-tarefa para combater o mosquito incorporando homens da Polícia Militar e da Defesa Civil, médicos, enfermeiros e também o pessoal de saúde, além de contratar mais 500 agentes comunitários. Além dessa força tarefa será criado um fundo estadual específico para esse enfrentamento. O valor será superior a R$ 50 milhões por ano

De acordo com o secretário de Saúde, David Uip, o programa do Governo prevê também, treinamento de profissionais de saúde de todo o Estado para diagnóstico e manejo clínico de casos suspeitos, oferta de exames sorológicos pelo Instituto Adolfo Lutz, inclusive para zika vírus, campanha maciça na mídia e parcerias com instituições dos setores público e privado para disseminação da mensagem sobre a importância de toda a população se envolver no combate aos criadouros do Aedes aegypti.

 Na reunião os prefeitos foram informados que os kits pra a realização dos testes de sorologia deverão chegar à região, ainda neste mês para serem usados a partir do próximo ano.       

 O secretário informou ainda que o exame será implantado para o pré-natal de gestantes no SUS (Sistema Único de Saúde), mediante adesão dos municípios e por meio da criação de um protocolo estadual. Se o teste der positivo para zika, serão oferecidos exames morfológicos e acompanhamento, além de amparo emocional após o nascimento dos bebês, caso haja alguma má-formação.

Hospitais – Além da caça ao Aedes aegypti, o Condesb  também formalizou moção que reivindica apoio aos hospitais da Baixada que enfrentam grave dificuldade financeira. O documento será encaminhado pelo secretário David Uip ao Governo Federal. Essa foi uma das principais reivindicações do prefeito de Praia Grande, Alberto  Mourão.

O secretário assegurou que irá elaborar nos próximos dias um cronograma de pagamento para o repasse de recursos do Estado à região, explicando que falta apenas definir as datas para pagar o repasse até o final do ano.

Os prefeitos da Baixada pediram brevidade  na solução desse problema, porque os hospitais estão enfrentando grave crise financeira, estando a Santa Casa de Santos, o maior hospital da Baixada, com sérios problemas acarretados pela sobrecarga em função de atender  pacientes de outras cidades. Embora já tenha solicitado empréstimo ao BNDES, em virtude da dívida de  R$ 180 milhões, ainda não recebeu os recursos.

Recursos extras – Entre as reivindicações do Condesb é a liberação de recursos extras para reforçar o atendimento em saúde durante a temporada, provenientes do Projeto Verão.

A iniciativa tem como objetivo auxiliar no custeio dos serviços públicos de saúde das cidades da Baixada, que recebem um grande número de turistas nesta época.                                     (Foto: Divulgação/PMPG)