Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Notícias de Paris

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2015-12-12 -19:15

Notícias de Paris

Estamos no final do ano e a Paz não tem data para unir os homens de boa fé. Paris está iluminada, com feiras e decoração natalinas, congressos para preservação da natureza e propostas lembrando que existe apenas um Deus capaz de nos fortalecer por Amor a vida!

Apesar do forte policiamento nas ruas de Paris, a Cidade Luz continua exuberante, com parisienses e turistas extasiados com a beleza da decoração natalina. O Champs Elysees está, como sempre, maravilhoso com dois quilômetros de luzes e enfeites de Natal.

O inverno ajuda a tornar o clima típico para renovar a crença de que Papai Noel pode surgir a qualquer momento. A prefeita de Paris, Anne Hidalgo, tem visitado as feiras natalinas para demonstrar que tudo terá que continuar, sem pânico e a vida ter sequência. Realmente, a população, mais que nunca está participativa. Percebo que o sentimento é o de que a vida segue.

Ao contrário do que se podia imaginar, a população está nas ruas e a palavra de ordem é fazer e viver a festa de Natal.  Confirmando esse clima, nos Bistrôs oferecem duas bebidas gratuitas e a Prefeitura, para incentivar ainda mais, para que o povo vá às ruas, colocou música ao vivo nos mais diversos pontos.

Policiamento - A cidade esta cheia de policia e semana passada fui testemunha da ação policial dentro do metrô. Em caso de suspeita, os policiais abordam, discretamente, a pessoa, levando-a até a parede, sempre usando de discrição. A ação é muito rápida.

As grandes lojas reforçaram a segurança e agora todos tem que abrir a bolsa e em alguns locais não é permitido o acesso com as sacolas grandes, especialmente, na Galeria Laffayette, Teatro, Opera etc...

Eleições – Os franceses voltam às urnas neste domingo (13), no segundo turno das eleições regionais, num clima de muita expectativa, pois o Partido Socialista, que governa o País, e a oposição de direita se mobilizam para impedir a vitória da Frente Nacional (FN), de extrema-direita, para evitar o fortalecimento de Marine Le Pen, líder para as eleições presidenciais de 2017.

As pesquisas de popularidade do presidente François Hollande e seu primeiro Ministro Manoel Vall, realizadas em novembro passado, eram conflitantes, pois alguns segmentos mostravam evolução da popularidade do governo diante das ações tomadas após o atentado na noite de 13 de novembro, entre elas a decretação de estado de emergência, caça incessante aos terroristas e às ações do Estado Islâmico. Outros se apresentavam nada satisfeitos, ressaltando o que consideram vulnerabilidade, especialmente no quesito segurança desse governo.

Outros ainda, defendendo atitudes mais radicais com relação a estrangeiros (expulsão, especialmente daqueles que ainda não aprenderam o idioma e que ainda não se adaptaram a cultura do País) e a saída da França da Comunidade Europeia. Esta é a posição dos simpatizantes da  Frente Nacional, que liderou os resultados do primeiro turno  com vitória das candidatas Marine Le Pen, presidente do partido, e sua sobrinha Marion Maréchal-Le Pen.

Para os observadores, se prevalecer a preferência dos franceses pelas candidatas da Frente Nacional, a situação politica na França poderá se degenerar de maneira inquietante para o mundo, diante do radicalismo que identifica o partido da Frente Nacional.

 

Au revoir.

* Joana D'arc Cerny de Almeida – direto de Paris (foto 1)