Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Toninha morta em rede de pesca irregular apreendida pela Guarda Costeira

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2016-02-26 -02:20

Toninha morta em rede de pesca irregular apreendida pela Guarda Costeira

Uma toninha foi encontrada na manhã desta quinta-feira (25) presa, já sem
vida, a uma rede de pesca apreendida pela Guarda Costeira de Praia Grande. O
material havia sido lançado em área de preservação ambiental e quando a
equipe do grupamento ambiental chegou ainda conseguiu salvar uma raia que
também estava presa.

De acordo com o inspetor Gonçalves do Nascimento Filho, a equipe realizava
uma fiscalização de rotina quando recebeu uma denúncia a respeito de uma
grande rede de pesca que estava em área de preservação ambiental, próxima à
Fortaleza de Itaipu. Ele contou que a rede era grande, com cerca de
300 metros. “Conforme puxamos a rede encontramos a toninha, já sem vida. Uma
raia também estava presa, mas ainda estava viva e conseguimos cortar a rede
e libertá-la”.

A toninha foi recolhida pela equipe e entregue ao Instituto Biopesca para
analisar o animal.
O inspetor explicou ainda que no momento em que a rede foi localizada não
havia nenhum barco próximo e, portanto, ninguém foi detido. “Mas trata-se de
crime ambiental e, caso a pessoa seja detida, responderá criminalmente pelo
fato”.

A Guarda Costeira é responsável pela fiscalização de toda a área marítima de
Praia Grande graças a um convênio firmado com a Marinha do Brasil. Além da
fiscalização de embarcações de pesca, o grupamento atua também no controle
de motos aquáticas e lanchas com o objetivo de orientar os proprietários das
embarcações e evitar acidentes. O resgate de animais marinhos também é
realizado pelas equipes.

Informações sobre embarcações irregulares, pesca predatória ou animais
feridos podem ser transmitidas pelos telefones 199 ou 153.

A toninha, segundo a Lista Oficial das Espécies da Fauna Brasileira Ameaçada de Extinção é o golfinho mais ameaçado de todo Atlântico Sul e atualmente é a única espécie de pequeno cetáceo ameaçada de extinção no Brasil. (Divulgação/PMPG)