Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

De ex-presidente a ministro de coisa alguma

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2016-03-18 -01:01

De ex-presidente a ministro de coisa alguma

A crise política e moral que nos últimos anos se instalou no Brasil, teve nesta quinta-feira, 17 de março, o dia mais tenso e por muito pouco o povo brasileiro não assistiu o triunfo da imoralidade. E possivelmente tenha sido a reação desse mesmo povo, o estopim para a reviravolta dos acontecimentos em curso que tinha tudo para garantir ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foro privilegiado, livrando-o da investigação deflagrada pela Operação Lava Jato e de eventual prisão.

Quando se acreditava que o ex-presidente ficaria ministro para fugir da investigação, menos de duas horas depois da posse, na manhã desta quinta, uma decisão da Justiça Federal de Brasília determinou a suspensão da nomeação do ex-presidente como ministro da Casa Civil.

Enquanto a presidente Dilma Housseff dava posse a Lula, seu antecessor e mentor político, o povo tomava conta das ruas. Buzinaço, panelaço e palavras de ordem contra o PT (Partido dos Trabalhadores), contra a presidente e contra Lula eram ouvidos em quase todos os cantos. Há que se registrar que os atos a favor do governo Dilma/Lula, mesmo em menor escala, também se faziam ouvir.

Não deu tempo para o recém nomeado ministro comemorar, porque o juiz da 4ª Vara do Distrito Federal Itagiba Catta Preta Neto que assinou liminar anulando o termo de posse do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva por entender  que há indícios de cometimento de crime de responsabilidade nas conversas telefônicas (grampo) entre a presidente Dilma e Lula, e  determinou a suspensão da nomeação do ex-presidente como ministro.

A divulgação de conversas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seus familiares e também com a presidente Dilma, autorizadas pelo juiz federal Sérgio Moro revela uma série de ilegalidades e desvio de finalidade da medida, além de impropérios sobre a conduta do Judiciário.

Impeachment – Em meio a tantos tumultos no final da tarde de hoje, a presidente Dilma foi notificada oficialmente da abertura do processo de impeachment pela Câmara.

Carta aberta – E no início da noite, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgou uma carta aberta em que se defende e comenta as conversas interceptadas pela Polícia Federal, tornadas públicas na quarta-feira (16) pelo juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba. (Foto: Divulgação)