Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Santos - Entrada da Cidade tem terreno declarado de utilidade pública

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2016-03-18 -23:32

Santos - Entrada da Cidade tem terreno  declarado de utilidade pública

Há anos discute-se em Santos, um novo traçado para a entrada da Cidade. Agora já existe projeto e a mais nova ação com vista a mudança radical, visando o fim dos transtorno com o escoamento do trânsito no geral, inclusive com direção ao porto, foi a alteração do  decreto que declara de utilidade pública um terreno no Chico de Paula, na divisa com o São Manoel. O objetivo é garantir a construção da ponte sobre o Rio São Jorge, suas alças de acesso e a nova rotatória na avenida Marginal Direita da Anchieta - esta última substituirá a atual rotatória do Bigode.

 Segundo a Prefeitura a alteração foi necessária após a Secretaria de Patrimônio da União (SPU) confirmar que partes do imóvel são áreas federais. Com total de 31.516,40 m², o lote está dividido em três áreas: duas públicas e uma particular. A parte privada do terreno tem 4.759,91 m² e será desapropriada pela Administração Municipal. A avaliação de mercado aponta um valor de R$ 7,4 milhões pela área.

As demais áreas são públicas e pertencem à União, sendo uma de marinha (4,148,18 m²) e outra de acrescido de marinha (22.608,31 m²). Ambas serão objetos de cessão de uso, sem custos ao Município.

 Parcerias - A construção da ponte sobre o Rio São Jorge e suas obras complementares vai ligar os bairros Bom Retiro, Chico de Paula e São Manoel à Rodovia Anchieta, evitando o fluxo de caminhões na Av. Nossa Senhora de Fátima no trajeto de ida e volta às empresas instaladas nas ruas Júlia Ferreira de Carvalho e Dr. Zelnor Paiva Magalhães. As intervenções fazem parte da fase 3 das obras planejadas para a entrada da Cidade.

O conjunto de intervenções na entrada da Cidade sob responsabilidade da Prefeitura, dividido em três fases, está estimado em R$ 290 milhões, com recursos de financiamento obtido junto ao governo federal (PAC 2 Mobilidade Médias Cidades) e contrapartida municipal. Outras obras estão em tratativas para a execução dos governos estadual e federal, totalizando investimentos de R$ 700 milhões.

Etapas da Prefeitura

Primeira fase - Contempla 18 km de vias com corredores de ônibus e serviços de microdrenagem. Esta etapa já foi licitada e tem contrato assinado de R$ 34,5 milhões com a empresa Terracom Construções Ltda (vencedora da licitação). Início das obras aguarda a licença de instalação da Cetesb e autorização do Iphan.                                                  

 Segunda fase - Estão previstas intervenções nas Ruas Júlia Ferreira de Carvalho e Zelnor Paiva Magalhães e a construção da Av. Beira Rio, que fará ligação entre a rotatória da ponte até a Av. Jovino de Melo.

Terceira fase - Construção de ponte sobre o Rio São Jorge e viaduto ligando as avenidas Martins Fontes e Nossa Senhora de Fátima, além de novas galerias de drenagem na Nossa Senhora de Fátima e Martins Fontes, para uma melhor condução das águas pluviais para os rios Lenheiros e São Jorge. Esta etapa faz parte de um conjunto de obras planejadas pelo Governo do Estado visando a melhoria do acesso a Santos. 

Segundo o arquiteto da Prefeitura, Otávio  Amato Souza Dias, o  projeto elaborado pela Dersa está em análise pela Secretaria de Infraestrutura e Edificações (Siedi). “Ele será orçado e aprimorado antes do envio à Caixa Econômica para aprovação e, em seguida, será licitado”. (Divulgação/ PMS)