Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Termina greve de terceirizados na RPBC por plano de saúde melhor

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2016-04-20 -15:21

Termina greve de terceirizados na RPBC por plano de saúde melhor

Durou 48 horas a greve dos 240 terceirizados ativos da Tomé Engenharia, subempreiteira da Tecnip em operação na Refinaria Presidente Bernardes de Cubatão (RPBC Petrobras).
Na manhã de hoje, (quarta-feira (20), os grevistas encerraram a paralisação, iniciada às 7h, de segunda (18), contra problemas no plano de saúde Mapfre, que substituiu a Unimed.

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil, Montagem e Manutenção Industrial (Sintracomos), Macaé Marcos Braz de Oliveira, a greve foi “positiva”.
“Conseguimos atendimento nas unidades dos hospitais Ana Costa, Frei Galvão,algumas clínicas e a empreiteira tenta fechar acordo com a Beneficência Portuguesa”, diz o sindicalista. Macaé revela que a empresa contratante Tecnip advertiu a contratada Tomé que, se a greve continuasse, romperia o contrato, o que deixaria os trabalhadores desempregados.

O sindicalista explica que a subempreiteira tem hoje apenas 350 trabalhadores, sendo 110 afastados por questões de saúde.

Macaé explica que o plano Mapfre “não atendia direito na Baixada Santista e que o departamento de Recursos Humanos da Tomé acabava sendo o responsável pelo cadastramento de médicos”.

Agora não é mais assim”, diz o presidente do Sintracomos. “A Mapfre colocou
um representante para atender as demandas e reclamações dos trabalhadores”.

O advogado do Sindicato Marco Antônio Oliva participou da assembleia e providenciará medidas jurídicas caso o plano não contemple as demandas dos trabalhadores.

A greve era também contra condições de trabalho ruins, falta de equipamentos de segurança e acúmulos de funções que obrigam o pessoal a trabalhar além de suas possibilidades.
“Abrimos negociações sobre esses e outros problemas, tudo por conta de uma greve bem sucedida”, pondera o sindicalista, comemorando o pagamento dos dias parados. (Foto: Vespasiano Rocha)


Pessoal da Cursan decide rumos da greve às 17h


Logo mais às 17h, desta quarta, pessoal da Cursan decide se continua ou suspende greve

Assembleia, às 5 da tarde desta quarta-feira (20), será na subsede do
Sintracomos Cubatão, Avenida Joaquim Miguel Couto, 337

Em assembleia na manhã de ontem, terça-feira (19), os trabalhadores da Companhia Cubatense de Urbanização e Saneamento (Cursan), empresa de economia mista controlada pela Prefeitura de Cubatão, resolveram continuar em greve.

Às 17h, desta quarta (20), na subsede do Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil, Montagem e Manutenção Industrial (Sintracomos), a categoria participará de nova assembleia, para deliberar se a paralisação prossegue no feriado prolongado. A empresa ficou de pagar, até o final da tarde, os vales de refeição e transporte, adicionais de férias e cesta-básica aos 570 empregados. E prometeu pagar o cartão cidadão na semana que vem.

Segundo o presidente do Sintracomos, Macaé Marcos Braz de Oliveira, as mensalidades da empresa com o plano de saúde da Santa Casa estão atrasadas e os trabalhadores temem ficar sem atendimento médico, ambulatorial e hospitalar.

As assembleias são sempre conjuntas com o Sindicato dos Trabalhadores nas Empresas de Asseio e Conservação (Sindilimpeza), que representa 500 empregados da companhia.