Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Paralimpíadas - O poder da superação que contagia

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2016-09-07 -03:19

Paralimpíadas - O poder da superação que contagia

Essa noite (7 de setembro de 2016), com certeza ficará marcada na minha história de vida e na de muita gente. A superação mostrada por mais de quatro mil atletas representando 176 países, encheu a imensidão da existência a partir do Maracanã, que transbordou para o mundo a alegria de viver, o orgulho de superar os desafios e a imensa e contagiante capacidade de se reinventar.

Em determinado momento cheguei às lágrimas diante a dubiedade de sentimentos que me acometeram quando vi a emoção no rosto do nadador brasileiro Clodoaldo Silva, dono de 17 medalhas (seis ouros, cinco pratas e seis bronzes) em sua cadeira de rodas, acendendo a pira paralímpica.

Em vários outros momentos as lágrimas teimaram e venceram minha vontade de parecer forte e capaz de dominar meus sentimentos, especialmente durante o desfile de algumas delegações, como a dos refugiados, de países em guerra, de nações em pobreza, e naturalmente a do Brasil. Fiquei pensando nas dificuldades desses povos que precisam de muita coragem e força de vontade para superarem as adversidades impostas pela violência advinda da fome, da tirania pelo poder, etc...

Com relação ao Brasil, as lágrimas vieram pela alegria de me certificar que ainda sinto orgulho de fazer parte de um povo que independentemente do momento em que não sabe que rumo tomar diante da vergonha a que somos expostos por quem deveria dar exemplo, já que representaram ou ainda representam o País, consegue ter esperança de dias melhores. Apesar de ser espezinhada por quem deveria me dar amparo, já que sou cidadã brasileira cumpridora de deveres como tal, ainda consigo me orgulhar do Brasil e separá-lo de seus governantes. Me orgulho do poder de reinvenção dos paratletas brasileiros e de outros povos. Diante de seus desafios pela vida, me obrigo à expiação de pensamentos pequenos, especialmente os que evocam desistência.

Só pelo espetáculo da abertura que me fez refletir sobre o poder de superação dos imensos desafios impostos às pessoas realmente especiais, a Paralimpíada do Rio que só começou, será inesquecível para mim e para muita gente porque ressaltou a importância da acessibilidade e inclusão e especialmente da reflexão. (Noemi Macedo)

Fotos: Divulgação