Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Motorista fecha porta de ônibus e prensa passageira

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2016-09-10 -02:41

Motorista fecha porta de ônibus e prensa passageira

Motoristas de transporte coletivo, vivem em sua grande maioria, estressados e não raro prensam passageiros no momento da descida do ônibus. Na tarde desta sexta-feira (9), por volta das 15h45, na Av. Presidente Wilson, sentido praia/centro, motorista do ônibus de prefixo 7229 da Viação Piracicabana prensou uma passageira de 67 anos, na porta traseira do veículo, quando esta que faz uso de bengala para se locomover, descia do coletivo.

A passageira havia dado sinal (acionado a botoeira) para descer no ponto da Av. Presidente Wilson, próximo à esquina da Rua Rangel Pestana. Como estavam parados próximo ao ponto outro veículo da empresa Piracicabana e uma Van do transporte municipal vicentino, o motorista do ônibus em que se encontrava a passageira, parou no meio da pista. Pela porta central desceu um rapaz, enquanto a passageira tentou descer pela porta traseira. Ela já estava com metade do corpo para fora do veículo tentando alcançar o chão com a bengala, quando o motorista com o ônibus em movimento fechou as portas.

A mulher teve o lado esquerdo do corpo (face, braço e o joelho) atingido. Diante dos gritos dos demais passageiros, o motorista parou o veículo que já estava em movimento e abriu as portas. A cena é comum e a maioria das vítimas apesar da dor e do desconforto se atém a alguns xingamentos (não foi o caso da passageira em questão que teve o joelho esfolado e está, por enquanto, com o rosto e braço doloridos), enquanto o veículo se afasta. Não raro, dias após esse tipo de acidente surgem os hematomas nas vítimas, muitas das quais se dão por felizes por não terem se ‘estatelado’ no chão ou terem sido arrastadas pelo ônibus.

A grande maioria das vítimas não apresenta queixa, talvez por isso e também pela dupla função do motorista (dirigir, e fazer o papel de cobrador, e ainda dar informações aos passageiros), situação normal para os empresários do setor e principalmente para as chamadas autoridades competentes, em especial as de trânsito que penalizam o motorista que fala ao celular enquanto dirige, que usuários desse tipo de transporte são tratados como carga, pura e simples. Enquanto isso as empresas de transporte coletivo continuam economizando e consequentemente enriquecendo. E o povo...