Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

2 de dezembro – O Samba em alvorada

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2017-12-02 -22:46

2 de dezembro – O Samba em alvorada

 Não há tempo ruim para a comunidade do samba em Santos, que às 6h, deste sábado 2, de dezembro, Dia do Samba, estava firme, forte e muito animada, no pátio da CET-Santos, local onde funcionou o Quilombo do Pai Felipe, o Rei Batuqueiro, no Jabaquara para comemorar o Dia do Samba.

J. Muniz, o Marechal do Samba (foto), define com muita propriedade a disposição dos sambistas na chuvosa manhã para comemorar a 55ª edição da Alvorada: “tradição não é cinza, é a chama que mantém viva a cultura de um povo”.

O considerado o pioneiro do samba no litoral paulista, o outrora Quilombo do Pai Felipe, foi palco mais uma vez de uma série de homenagens, para celebrar a criação de um dos maiores patrimônios culturais do País, o samba. Neste ano, Alvorada do Samba contou com recursos de acessibilidade, graças a presença de uma tradutora de libras e uma pessoa responsável por fazer a audiodescrição de tudo que acontecia durante o cerimonial. A celebração teve início ao amanhecer, com queima de fogos e toque de clarim, contando ainda com a animação dos ritmistas da escola de samba Vila Mathias. 

A manhã era de festa, mas de relembrar as histórias marcantes de pessoas que dedicaram uma vida inteira ao samba, casos de Nelson Diamante, Benedito Narciso do Amparo (o Dito do Pandeiro) e Kelly Maria da Cruz, que receberam homenagens póstumas. Mantendo a tradição, o Cidadão-Samba deste ano, Serginho do Pandeiro, executou as 21 batidas no surdo. Na sequência, ocorreu a aposição de arranjo floral junto ao monumento em homenagem a Pai Felipe.

Marcaram presença a Corte Carnavalesca de 2017, os casais de mestre-sala e porta-bandeira das escolas de samba da Cidade e diversas personalidades do mundo do samba.

Tributo - Ainda como parte da Alvorada do Samba foram concedidos títulos pelo Estado Maior do Samba. Receberam a honraria de Cabo do Samba Luiz Carlos Pereira (Cabo Nene), Marcos de Brito Silva (Cabo de Brito) e Hercules Oliveira Porfirio (Cabo Dada). Foram consagradas Damas do Samba Regina Célia Farias de Jesus, Elizabeth de Lourdes dos Santos e Francelina Dinorah do Nascimento Roberto e Geraldo Pieroti, que anteriormente ocupava a patente de Cavalheiro do Samba, recebeu o título de Comendador. Outras personalidades receberam o Diploma de Mérito do Samba por se destacarem na defesa da tradição do gênero na cidade. A realização foi da Secretaria de Turismo (Setur), em parceria com Liga Independente Cultural das Escolas de Samba de Santos (Licess) e Conselho do Samba de Santos. (Divulgação/PMS; Fotos: Francisco Arrais)