Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Sabesp reforça segurança do abastecimento da Baixada para o verão

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2017-12-26 -01:40

Sabesp reforça segurança do abastecimento da Baixada para o verão

A Sabesp informa que nesta temporada de verão na Baixada Santista, foi reforçada a estrutura de atendimento e operação para garantir à população e aos turistas mais tranquilidade durante as festas e o veraneio. As ações incluem um time extra de funcionários à disposição da população e mais geradores de energia para as instalações da Companhia, garantindo o funcionamento dos equipamentos em caso de queda na eletricidade.

A direção da empresa afirma que neste ano, investiu mais de R$ 118 milhões em melhorias contínuas em seus sistemas, sendo R$ 22,6 milhões para abastecimento e R$ 96,1 milhões no sistema de esgotamento sanitário. Entre elas está a expansão e reforço das redes de distribuição de água, com a implantação de 68 km novos de tubulações; troca preventiva de 27.666 hidrômetros, o que contribui com a redução das perdas de água no sistema, e as mais de 16 mil vistorias prediais preventivas para detecção e reparo de vazamentos e orientação dos clientes.

 Serão 1.270 funcionários à disposição neste período. A empresa atuará em plantões com equipes de atendimento e manutenção. Ao todo, 30 caminhões-pipa estarão distribuídos de Bertioga a Peruíbe para casos emergenciais e o cliente pode obter atendimento 24 horas, de forma gratuita, pela Central telefônica (195 ou 0800 055 0195), Agência Virtual (www.sabesp.com.br) e aplicativo mobile para celulares e tablets com sistemas operacionais Android e iOS. O atendimento vale para 1,8 milhão de moradores da Baixada e para os cerca de 3 milhões de turistas, especialmente durante as festas de Natal e Ano-Novo.

Geradores e apagões - Para evitar que uma possível falta de energia elétrica prejudique o bombeamento da água até as casas dos moradores, o comércio e a indústria, a Sabesp instalou 23 geradores móveis, que estão sendo somados aos 40 aparelhos já existentes na região. A medida visa garantir o fornecimento ininterrupto de água às torneiras e a coleta contínua dos esgotos.

 Os aparelhos são importantes para que sejam evitadas paralisações dos equipamentos da companhia em casos de queda ou intermitência de energia provocadas por chuvas e ventos fortes, quedas de árvores e raios – eventos comuns na estação mais quente do ano. Em casos emergenciais, os geradores entram em carga, mantendo os sistemas operando enquanto as concessionárias da área atuam no restabelecimento da rede elétrica.

 

Com investimento de cerca de R$ 320 mil, os novos 23 dispositivos foram alugados e permanecerão na região até o Carnaval. Todos possuem autonomia de 10 horas cada sem que precisem ser reabastecidos. Este reforço representa um aumento de 57,5% na autonomia energética da Companhia em toda a região, trazendo mais flexibilidade para a operação e assegurando a integridade das estações de bombeamento e tratamento.

 Além disso, a Sabesp e empresas de energia elétrica que atuam na Baixada Santista se mantém alinhadas durante o ano todo, para que o atendimento à população seja pleno em todos os serviços ofertados.

Dentro de casa - A Sabesp afirma estar preparada para mais esta temporada de verão, mas do cavalete para dentro a responsabilidade é do cliente. Por este motivo a companhia pede que moradores e veranistas usem a água com consciência, sem desperdícios. Por meio de atitudes simples é possível contribuir:

 - Revise as instalações hidráulicas e certifique-se de que não há vazamentos;

- Conserte rápido os pequenos vazamentos em vasos sanitários, pias e chuveiros;

- Tome banhos curtos;

- Evite o uso de mangueiras;

- Feche a torneira enquanto escova os dentes, faz a barba ou lava a louça,

- Utilize máquinas de lavar roupas e louças sempre na capacidade máxima.

Para os moradores que receberão seus parentes em casa ou para turistas que alugaram imóveis de veraneio, a Sabesp listou algumas dicas para aproveitar bem as festas e evitar falhas no abastecimento por causa de problemas dentro dos imóveis.

- Informe-se se a fatura de água está com o pagamento em dia;

- Ao entrar no imóvel, verifique se o registro encontra-se aberto;

- A caixa-d'água é obrigatória, de acordo com as normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), portanto é essencial verificar se o imóvel tem uma caixa de tamanho adequado, além de garantir que ela passe por limpeza a cada seis meses;

- Para o morador saber qual é o tamanho da caixa-d'água ideal para seu imóvel, ele deve observar sua conta. Lá está o consumo médio e o consumo do último mês. Por exemplo: se a conta da família foi de 15 metros cúbicos (15 mil litros), ela precisa de 500 litros de estoque (15 mil litros divididos por 30 dias no mês). Se for uma família maior, ou com quintal grande, cachorros, por exemplo, e o consumo for de 22 metros cúbicos (22 mil litros), a caixa-d'água deve comportar 733,33 litros (precisa de 750 litros).

- Grande vilão no desperdício de água de uma residência, o banheiro representa 63% de toda água consumida. O chuveiro e a bacia sanitária, juntos, representam 57% do consumido. Para isso existem equipamentos, como a bacia com caixa acoplada, que reduz a utilização de água na descarga. Também é possível colocar um restritor de vazão no chuveiro e na torneira, que contribui para economia da água utilizada.

- O consumo de água aumentou sem que houvesse grandes mudanças dentro de casa? Verifique a existência de vazamentos internos, a eficiência dos equipamentos domiciliares no seu imóvel e seus hábitos. http://site.sabesp.com.br/Pages/UsoRacionalAgua/TesteVazamentos.aspx

- Para os moradores, o monitoramento periódico do registro de consumo possibilita identificar rapidamente um aumento causado por vazamento interno, sem ser preciso esperar a próxima conta. A ação corretiva pode ser adotada rapidamente, evitando desperdício. Quando uma alta do consumo é identificada pela Sabesp, na fatura do imóvel vai impressa uma mensagem que indica a importância de verificação das instalações hidráulicas internas. (Divulgação/Sabesp)