Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Defesa Civil alerta sobre fortes chuvas a partir desta terça-feira

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2019-02-11 -00:03

Defesa Civil alerta sobre fortes chuvas a partir desta terça-feira

 A Defesa Civil alerta sobre as fortes chuvas na Baixada Santista a partir desta terça-feira (12), com a possibilidade de graves ocorrências, a exemplo da semana passada.

Há exatamente uma semana, a Baixada Santista viveu o caos devido as fortes chuvas que atingiram a região, causando transtornos de toda ordem, desde queda de árvores, destelhamento, alagamentos, muito danos materiais e o desespero de famílias  que tiveram de deixar suas casas onde seus pertences foram deteriorados e a situação pode se repetir nesta terça-feira (12), devido a chegada de uma frente fria.

 O alerta da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil de São Paulo especifica que a aproximação da frente fria vinda do Sul do país, associada à umidade que vem da Amazônia, pode ocasionar chuva intensa no litoral. Informam ainda que a instabilidade pode se estender até sexta-feira (15).

 

A Defesa Civil pede para que as pessoas fiquem atentas porque os índices pluviométricos serão altos, embora menores dos registrados semana passada, possivelmente provocarão alagamentos de ruas e deslizamentos de encostas em todo o Estado de São Paulo.

 

Contabilizando prejuízos – As consequências das fortes chuvas da semana passada, teve consequências agravadas pela agravada maré alta e toda região sofreu com os transtornos causados pela enxurrada.

 

Em São Vicente, na última sexta-feira (8), moradores do Catiapoã que teve várias ruas alagadas, especialmente as próximas ao Canal da Av. Dr. Alcides de Araújo, ainda não tinham se recuperado dos transtornos, porque muitos perderam, mais uma vez, móveis, eletrodomésticos e mantimentos. Na Rua Luiz Panzoldo Netto, o caos foi geral, com água atingindo mais de meio metro em algumas casas, uma moradora perdeu geladeira, fogão e teve a máquina de lavar roupa danificada, além de móveis e mantimentos. Nas ruas Joinville e Blumenau, as residências mais próximas do Canal também foram invadidas. Nos bairros, Joquéi Clube, Jardim Nosso Lar, Vila margarida, Cidade Náutica, México 70, Bitarú, bairros do centro e da área continental também não escaparam à força do temporal.

 

Em Santos, a situação não foi diferente. As ruas ficaram alagadas e a Zona Noroeste como sempre acontece foi a área mais prejudicada com bairros literalmente tomados pela água, destruindo conquista material de muitos moradores, alguns deles abrigados em casa de parentes e amigos. O caos no trânsito foi generalizado com a entrada da cidade via Zona Noroeste (avenidas Nossa Senhora de Fátima e Martins Fontes totalmente alagadas). O acesso via praia também foi comprometido. Quedas de árvores, desabamento parcial de um prédio no José Menino, cerca de 50 deslizamentos de terra e outros transtornos como perda de veículos, sem contar que o transporte coletivo parou de funcionara na região.

 

Em Cubatão, o Rio Pilões transbordou e moradores tiveram que deixar as casas; os residentes em encostas temeram pelo risco de deslizamentos, situações registradas também nos demais municípios da Baixada Santista, onde, felizmente não houve registro de pessoas feridas, mas alguns animais de estimação se perderam como a Pretinha, uma Cocker Spaniel de 2 anos de propriedade de Marina Santos Batista de Almeida , residente no bairro Caraguava. Bertioga foi outro município que ficou com a maioria dos bairros simplesmente alagados. (Foto: Divulgação/Arquivo)