Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Pandemia – Baixada Santista na fase amarela

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2020-07-11 -18:02

                      Pandemia – Baixada Santista na fase amarela

                   O Governo do Estado mudou, nesta sexta-feira (10), a classificação das cidades da Baixada Santista, da fase laranja para a fase amarela do 'Plano São Paulo', o plano estadual de combate ao coronavírus.

         Na nova tabela divulgada pelo governo estadual, que anunciou também a prorrogação da quarentena prorrogada até o próximo dia 30, a região da Baixada Santista está com 49% da ocupação de leitos de UTI e com 26,2 leitos para cada 100 mil habitantes.

               Fase amarela - Na etapa amarela, as cidades poderão seguir rígidos protocolos sanitários para reabrir bares, restaurantes, salões de beleza com 40% da capacidade, academias com 30% e expediente diário de até seis horas na próxima semana.

            As regiões que permanecerem por 28 dias seguidos na etapa amarela também poderão reabrir, com limitações, espaços culturais como museus, bibliotecas, cinemas, teatros e salas de espetáculos.

              As três próximas atualizações programadas do Plano São Paulo estão previstas para os dias 24 de julho e 7 e 21 de agosto. Os índices epidemiológicos e capacidade hospitalar são verificados semanalmente e, em caso de piora acentuada, pode haver regressão de fase em caráter extraordinário.

            Plano São Paulo - Denominado Plano São Paulo, o governo estadual apresentou um plano de flexibilização progressiva que prevê cinco etapas. As regiões do estado foram classificadas em fases por cor, de acordo com os critérios definidos pela Secretaria Estadual da Saúde e pelo Comitê de Contingência para o Coronavírus.

          Esses indicadores são avaliados junto com dados de mortes, casos e internações por Covid-19 para determinar a fase em que se encontra cada região. A cada 15 dias a região poderá se mover para fases menos restritivas. As fases poderão regredir conforme os indicadores sofram alterações.

Fase 1, vermelha: alerta máximo, funcionamento permitido somente aos serviços essenciais

Fase 2, laranja: controle, possibilidade de aberturas com restrições

Fase 3, amarela: abertura de um número maior de setores

Fase 4, verde: abertura de um número maior de setores em relação à fase 3

Fase 5, azul: "normal controlado" - todos os setores em funcionamento, mas mantendo medidas de distanciamento e higiene

(Foto/Divulgação/Governo/SP)