Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

O samba está de luto. Morreu Toninho Madrugada

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2021-03-28 -18:16

O samba está de luto. Morreu Toninho Madrugada

 A tristeza nos emudece. O Carnaval sem Toninho Madrugada nunca mais será o mesmo

Nesse “Desabafo do Samba”, enquanto o tempo durar, para não esquecer o amigo fiel, o sambista, compositor, colunista, radialista e xisnoveano Toninho Madrugada, enlutados, nós do Jornal Espaço Aberto, ressaltamos que nem todas as palavras que soubéssemos escrever, seriam suficientes para demonstrar nossa dor, nosso pesar.

Eu não vi, ninguém me contou, mas acredito que Madrugada deve ter subido em um carro alegórico enfeitado com as cores da sua amada Escola de Samba, a X-9, tirando um pedaço de jornal do bolso e anotando por cima do texto, por coincidência sua Coluna “Desabafo do Samba”, alguma informação sobre a Passarela do Samba noutro plano, onde se juntará a outros sambistas, amigos seus que o antecederam nessa apresentação.

Madrugada, enquanto no Universo um surdo se ouvir, um choro de cuica soluçar, uma batida harmoniosa do pandeiro fizer um corpo balançar, uma plêiade de bons sambistas teu samba há de cantar. E aí meu amigo, não adianta dizer “fala tu que eu tô cansado” como sempre dizia ao atender o celular, aquele para o qual você mesmo ligava só para ouvir a gravação do Hino da X-9.

Independentemente da intensidade da remandiola, se o vento soprar para o lado errado vai ter de lançar mão da frase que usava há mais de 60 anos como diferencial para mostrar sua lealdade aos amigos e ao mundo do samba, especialmente quando se referia a quem falava mal do samba ou menosprezava o bom sambista: “Amigo meu não tem defeito, inimigo, se não tiver eu invento”. Com ela você diferenciava inimigo de adversário e fazia questão de apregoar que não existe Escola de Samba inimiga, apenas adversária e mesmo assim, só durante o desfile porque, já na apuração, todas, no seu entender, são sofredoras.

Madrugada, não sei se já desceu do carro alegórico, se o desfile no plano em que você já se encontra ainda está em curso e se encontrou alguns dos saudosos lordes do Carnaval Santista, entre eles Lord Girassol (Oswaldo Justo), Lord Budy (Esmeraldo Soares Tarquínio de Campos Filho), Lord Tininho (Isaltino de Oliveira Fernandes), Lord Manda Brasa (João Moreira Sampaio Neto), Lord Perereca (Hamleto Rosato), Lord Tucano e Lorde Espoleta, respectivamente Itamar Felício de Miranda e Anésio Borges, ambos fotógrafos.

Veja se encontra também o Lord Fifi (Maurice Legeard) porque tenho certeza que se for possível juntá-los, vai dar samba e quem sabe, depois do novo aprendizado, da prestação de contas, etc... etc... (não sei como é o andar da carruagem nesse outro lado, e nem estou curiosa) surja uma agremiação, aquela dos seus sonhos, lembra?

Ah Madrugada, aqui estou divagando apenas para espantar a tristeza. Gostaria eu, nesse momento, de ter o seu dom de compor uma melodia para qualquer letra que reúna agradecimento, amizade, saudade e poder cantar bem alto que não mais ficarei brava com seus ‘perdidos’ (sumiços) e com a explicação esfarrapada de que assim agia “para que a editora (eu) fique esperta e não perca o ritmo da Coluna (Desabafo do Samba) e do nada, faça rapidinho, um texto sobre o Carnaval Santista, mesmo que seja Natal”.

Toninho Madrugada, onde estiver, arrepia na composição, risca o chão com o samba no pé e no gogó, leve alto e em bom som o samba enredo que embalou a sua vida. Meu amigo, até que tempo me permita, agradecerei seu pedido a Oxalá para que nos dê Malemê. Axé. (Noemi Francesca de Macedo)

 

* Antônio Lombardi Jr, O Toninho Madrugada, aos 75 anos, faleceu na manhã deste domingo (28 de março) e o sepultamento acontece nesta segunda (29), às 10, na Necrópole Ecumênica de Santos. Estava internado no Hospital Municipal de São Vicente não resistiu às complicações da covid-19