Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

FestKaos começa nesta sexta-feira, 1º de julho, em Cubatão

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2022-07-01 -09:22

FestKaos começa nesta sexta-feira, 1º de julho, em Cubatão

 Dez companhias teatrais se encontram no 7º FestKaos - Festival Teatro do Kaos – de 1º a 10 de julho. A abertura será na próxima sexta-feira às 20h com o espetáculo “Ledores do breu”, com a Cia Tijolo, grupo teatral convidado da capital paulista.

O FestKaos vai ter sessões diárias, sempre às 20 horas, apresentadas no palco mais charmoso do Largo do Sapo no Teatro do Kaos. Participarão equipes de Santos, capital, São José dos Campos e Santa Bárbara D’Oeste. A programação completa e as sinopses dos espetáculos você confere abaixo. A entrada é gratuita, porém o Teatro estará arrecadando alimentos não-perecíveis para quem estiver disposto a colaborar.

As peças selecionadas recebem ajuda de custo de R$ 4 mil reais. Os três melhores espetáculos serão premiados: o 1º lugar recebe R$ 3 mil, o 2º a quantia de R$ 2 mil e o 3º lugar ganha R$ 1 mil, além de troféus para todos os classificados. Também haverá premiação para os melhores nas categorias Ator, Ator Coadjuvante, Atriz, Atriz Coadjuvante, Direção, Figurino, Cenografia, Iluminação, Trilha Sonora, Texto e Maquiagem.

O festival visa a valorização do fazer teatral, promovendo troca de experiências e formação de platéia, difundindo as artes cênicas para diferentes públicos. “O teatro me ensinou a pensar no meu semelhante. E todo o teatro que faço é pensando no bem de todos, por isso, tudo que um dia sonhei, virou e continua virando realidade”, destaca o idealizador e diretor do festival, Lourimar Vieira.

A programação cultural é dividida em espetáculos convidados e a mostra competitiva, avaliada pelo júri formado pelo diretor teatral Alexandre Mate; pelo ator, diretor teatral, professor e coreógrafo Fernando Neves; e a outra cadeira por José Cetra Filho, crítico e pesquisador teatral. O 7º FestKaos é realizado pelo Teatro do Kaos via Lei de Incentivo à Cultura, patrocínio da Unigel e apoio da Prefeitura de Cubatão.

O Festival de Teatro do Kaos se consolidou como um dos mais importantes do Brasil, servindo de vitrine para atores, atrizes, diretores, diretoras e demais profissionais da cultura atuantes nos espetáculos. Nestes anos de realização foram mais de 330 peças teatrais inscritas de 15 estados brasileiros diferentes. Nos dois últimos anos foi realizado de maneira virtual reunindo 18 mil espectadores.

Festival traz lançamento de livro sobre o Teatro do Kaos – No dia 9 de julho às 16h acontece o lançamento do livro ‘Em Cubatão/SP, na originária Cui-pai-ta-ã, os 25 anos de arte e resistência do Teatro do Kaos, Histórias em espetacularidades e partilhas’. Assinada por Alexandre Mate, a publicação reconta a trajetória de sucesso do Kaos e todos os seus personagens verídicos. O livro foi realizado por meio do ProAC Expresso Direto da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo.

Criado em 1997, o Teatro do Kaos é considerado de utilidade pública municipal por intermédio da Lei 2576/99 e de utilidade pública estadual pela Lei 15.175/13. Instalado inicialmente sob uma lona de circo, foram anos a fio em busca da profissionalização até o teatro ser erguido da forma que está hoje. Além do Festival de Teatro, o Kaos realizou diversos outros projetos e cursos formativos como o tradicional ‘Caminhos da Independência’, Projeto Superação, A Escola vai ao Teatro, Mostra de Teatro Estudantil, Festival de Arte Criativa, além de ter recebido centenas de produções teatrais e musicais em seu palco ao longo dessas duas décadas. 

Confira a programação completa do 7º FestKaos:

1º/jul | Sexta-feira | 20h | Grupo convidado | ‘Ledores no Breu’ | Cia Tijolo – São Paulo/SP | Livre

2/jul | Sábado | 20h | Mostra competitiva | ‘Eu não sou Harvey – O desafio das cabeças trocadas’ | Cia dos Inquietos – São Paulo/SP | 14 anos

3/jul | Domingo | 20h | Mostra competitiva | ‘Macacos’ | Cia do Sal – São Paulo/SP |14 anos

4/jul | Segunda-feira | 20h | Mostra competitiva | ‘O Coração nas Sombras’ | Cia Teatro da Cidade – São José dos Campos | 14 anos

5/jul | Terça-feira | 20h | Mostra competitiva | ‘Ensaio para dois perdidos’ | Éssa Compania de Teatro – São Paulo/SP | 16 anos

6/jul | Quarta-feira | 20h | Mostra competitiva | ‘Aos Professores, aos Miseráveis, a Paulo, Adeus’ | Núcleo Barro 3 – São Paulo/SP | 14 anos

7/jul | Quinta-feira | 20h | Mostra competitiva | ‘Resíduos’ | Em Bando Coletivo – Santos | 14 anos

8/jul | Sexta-feira | 20h | Mostra competitiva | ‘Sobre o Fim’ | Magnólia Cultural – São Paulo/SP | 14 anos

9/jul | Quarta-feira | 16h | Lançamento do Livro ‘Em Cubatão/SP, na originária Cui-pai-ta-ã, os 25 anos de arte e resistência do Teatro do Kaos, Histórias em espetacularidades e partilhas | Livre

9/jul | Sábado-feira | 20h | Mostra competitiva | ‘Por ti, por tão, coração’ | Cia Arte-Móvel – Santa Bárbara D’Oeste | Livre

10/jul | Domingo | 20h | Grupo convidado | ‘Até que Tu te tornes Verde’ | Teatro do Kaos – Cubatão | 12 anos

10/jul | Domingo | 21h | Cerimônia de premiação | Livre

Sinopses dos espetáculos:

1/7 (20h):  Ledores do Breu (espetáculo convidado): Cia. do Tijolo –   São Paulo/SP
Sinopse -
 Inspirado no texto Confissão de Caboclo do poeta Zé da Luz e na práxis do educador Paulo Freire, o espetáculo trata das relações entre o homem sem leitura e sem escrita com o mundo ao seu redor. Histórias entrelaçadas que acompanham analfabetos em pleno século XXI, homens percorrendo distâncias para elucidar suas dúvidas, seus erros e seus crimes.

Ficha Técnica

Atuação e cenário: Dinho Lima Flor

Direção: Rodrigo Mercadante

Figurino: Karen Menatti

Iluminação: Tom Ribeiro

Contrarregragem: Cida Lima

Pesquisa dramatúrgica: Dinho Lima Flor e Rodrigo Mercadante

Duração: 75 minutos

Classificação indicativa: Livre 

2/7(20h)Eu Não Sou Harvey - O desafio das cabeças trocadas:Cia dos Inquietos, São  Paulo/SP
Sinopse - Um ator aceita o desafio de viver Harvey Milk, o primeiro homossexual assumido a ser eleito para um cargo público nos EUA. Em 50 minutos, o ator percorrerá uma trajetória inusitada, que vai do Brasil colonial, até o assassinato de Harvey, em 1978. Durante esse tempo, ele tentará provar a tese sobre o seu assassinato. 

Ficha técnica:

Texto e direção: Michelle Ferreira

Idealização e atuação: Ed Moraes

Iluminação: Karine Spuri

Direção musical: Mau Machado

Cenário: Marcio Macena

Figurino: Ed Moraes

Fotos: Caio Oviedo, Gustavo Steffen, Amanda Clemente

Videomaker: Geraldo Arcanjo

Designer gráfico: Pietro Leal

Gerenciamento de mídias sociais: Beatriz Miranda

Orientação de processo: Georgette Fadel

Orientação corporal: Tainara Cerqueira

Assistente de produção: Dani D'Agostino

Assessoria jurídica: Alber Sena

Produção: Arrumadinho Produções Artísticas

Direção de produção: Ed Moraes

Duração: 55 minutos

Classificação indicativa: 14 anos 

3/7 (20h)Macacos:Cia do Sal,São Paulo/SP
Sinopse - A obra se caracteriza em monólogo no qual o ator (além de sua expressão) se utiliza apenas de um batom, e trata sobre a urgência da vida negra no Brasil. O preconceito contra os povos pretos é abordado em cena a partir do relato de um homem-preto que busca respostas para o racismo que rodeia seu cotidiano e a história de sua comunidade. Macacos se desenrola num fluxo de pensamentos, desabafos e elucidações que surgem em cenas pautadas em nossa história e, também, em situações vividas por grandes artistas negros: Elza Soares, Machado de Assis, e Bessie Smith, até alcançar relatos e estatísticas de jovens negros presos e executados pela Polícia Militar no Brasil, de ontem e de 2021.

Ficha Técnica

Ator, diretor e dramaturgo: Clayton Nascimento
Direção técnica/iluminação: Danielle Meireles
Provocaçãocênica: Ailton Graça
Direção de movimento: Aninha Maria Miranda
Produção geral: Ulisses Dias - Bará Produções
Produção executiva: Corpo Rastreado

Duração: 75 minutos

Classificação indicativa: 14 anos 

4/7(20h)O Coração nas Sombras:Cia Teatro da Cidade – São José dos Campos/SP
Sinopse - A peça utiliza ferramentas da narrativa, do teatro Nô e do documental, e faz parte da trilogia de pesquisa de tais linguagens em processo colaborativo com o dramaturgo Luís Alberto de Abreu. A trilogia se completa com Maria Peregrina (2000) e Um Dia Ouvi a Lua (2010). A obra em destaque, toma como inspiração a história real de Letícia Poletti (1908-1939), uma dona de casa que, na década de 1930 (mãe de três meninas, filha de imigrantes italianos) foi explorada pelo marido e internada como louca pelo irmão mais velho no Sanatório de Barbacena, conhecido como Holocausto Brasileiro, onde faleceu aos 31 anos. A encenação utiliza documentos e imagens das personagens envolvidas e dos internos da instituição mencionada (e na qual faleceram 60 mil pessoas). 

Ficha Técnica

Dramaturgia: Luís Alberto de Abreu

Direção geral: Kiko Marques

Codireção: Claudio Mendel

Trilha sonora e direção musical: Beto Quadros

Elenco: Andréia Barros, CarenRuaro, Josivan Costa e Sheila Faermann

Atores Substitutos: Carol Grignoli e Rômulo Scarinni

Cenografia, figurinos e adereços: PitiuBomfin

Papeleiro: Luiz Ramos

Costureira: Alice Aparecida de Souza

Iluminação: Daniel Augusto

Assessoria de Imprensa: Andreia Barros

Diretor de Produção: Claudio Mendel

Editor de imagens e criação gráfica: João Rios

Operação de som e projeção de imagens: Carol Grignoli

Montagem e operação de luz: Daniel Augusto e William Alves

Fotos: Carol Grignoli, Gabriela Eifler, Jessé Fernandes e PitiuBomfin

Filmagem e edição de minidoc: Jessé Fernandes

Filmagem e edição do espetáculo: Leandro Lammoglia – Alpha Filmes

Realização e produção: Cia Teatro da Cidade

Duração: 70 minutos

Classificação indicativa:14 anos 

5/7 (20h)Ensaio para Dois Perdidos: ÉssaCompania de Teatro - São Paulo/SP

Sinopse - Ensaio para Dois Perdidos se caracteriza em uma “partida de futebol” de 90 mim, com direito a intervalo ou prorrogação de 15mim e “gol de ouro". Está nas mãos, ou melhor, nos pés descalços dos atores jogadores, gerar no público “o desconforto” necessário para decidir qual corpo vai morrer no tempo estabelecido, conforme o texto original Dois Perdidos Numa Noite Suja de Plínio Marcos. 

Ficha técnica

Direção: Júlio Silvério

Dramaturgia: Júlio Silvério e AgaOrimaf

Figurino, iluminação, sonoplastia: ÉssaCompania de Teatro

Atrizes: Maria Eduarda, Jaque Alves, Jéssica Marcele e AgaOrimaf

Atores: Júlio Silvério, Jefferson Silvério e Matheus Heitor

Duração: 90 minutos

Prorrogação: 15 minutos

Classificação indicativa: 16 anos 

6/7 (20h) Aos Professores, aos Miseráveis, a Paulo, Adeus: Núcleo Barro 3 - Paulo/SP
Sinopse -
 Brasil, 2030. Em meio às censuras de uma nova ditadura e um forte movimento separatista da região Nordeste, uma professora de Língua Portuguesa cruza o país em busca de refúgio no estado do Ceará. No trajeto, ela troca cartas codificadas com um interlocutor secreto, por meio das quais discorre sobre a miséria que assola o país, suas memórias da sala de aula e a prática de uma pedagogia emancipatória. A professora procura manter a lucidez apoiando-se na paixão pelo idioma e na luta por uma educação libertadora. 

Ficha técnica

Concepção e Realização: Núcleo Barro 3, Douglas Scaramussa, Lucas França e Rosana Pimenta

Dramaturgia: Gustavo Braunstein

Atuação: Rosana Pimenta

Direção: Lucas França

Cenografia: JulioDojscar

Figurino: Silvana Marcondes

Iluminação:TatyKanter

Direção musical:  Lua Oliveira

Preparação corporal:Lilian Vilela

Preparação vocal e de elenco: Gabriela Flores

Direção Audiovisual: Cesar Barbosa

Produção: MoviCena Produções (Jota Rafaelli)

Duração: 60 minutos

Classificação indicativa: 14 anos 

7/7 (20h) Resíduos: Em Bando Coletivo - Santos/SP
Sinopse -
 A encenação transita por entre flagrantes de memória coletiva e individual, remetendo-se a situações cotidianas, como saudade, medo da morte e de boa parte do que se desconsidera ao longo da vida. As dimensões da caixa preta se “emboloram”. A não-palavra do elenco é substituída por um balé do cotidiano. É sobre tempo e (im)permanência; é sobre sentimento de incompletude: é sobra, refugo, lembrança vaga. Tomando versos de Drummond: “Se de tudo fica um pouco, (...) por que não ficaria um pouco de mim?”. 

Ficha técnica

Direção: Dario Félix

Dramaturgia: Dario Félix, Felippe Alves, Luiz Fernando Marques Lubi, Marcus Di Bello e Paola Caruso

Orientação Artística: Luiz Fernando Marques Lubi

Atuação:Felippe Alves, Marcus Di Bello e Paola Caruso

Iluminação: Marcus Di Bello e Ronaldo Fernandes

Operação de luz: Ronaldo Fernandes

Trilha sonora e operação de Som: Dario Félix

Cenografia: Dario Félix, Felippe Alves, Marcus Di Bello e Paola Caruso

Duração: 50 minutos

Classificação indicativa: 14 anos 

8/7 (20h)Sobre o Fim: Magnólia Cultural - São Paulo/SP
Sinopse -
 Petrus, Tito e o mundo estão no fim. Rodeados por caixas de mudança, o fim do relacionamento deles coincide com um cataclismo de proporções desconhecidas: está nevando onde não deveria, sendo impossível ver e sentir algo além de gelo e do silêncio. Presos no apartamento de onde já deveriam ter saído, cada nova cena descortina mais uma camada do convívio e da profundidade de cada um deles. Assim, se desfia o rosário daquele relacionamento tão intenso que transborda do casal para o mundo à sua volta. Uma verdadeira carta de amor sobre o fim. 

Ficha Técnica

Dramaturgia: Davi Sabry
Direção: Lucas Sancho
Elenco: Roberto Rezende e Lucas Sancho
Direção de Arte: Lucas Sancho
Técnica:Álisson Gonçalves
Colaboração:  Ricardo Tabosa, Lívia Guerra, Aquele Mário, Elisa Porto e Marisa Paiva
Fotos e vídeo: Paula Tonelotto
Produção: Davi Sabry e Lucas Sancho
Realização: Magnólia Cultural

Duração: 55 minutos

Classificação indicativa: 14 anos 

9/7 (20h) Por Ti, Por Tão, Coração!:Cia Arte-Móvel – Santa Bárbara d’Oeste/SP
Sinopse -
 O espetáculo caracteriza-se em uma celebração, uma imersão no universo de Cândido Portinari. Por intermédio da obra, busca-se nossa terra e os retalhos de nossa infância, que, costurados vida afora, pelo fio mágico pelas mãos do pintor, pintaram o Brasil, pintaram a todos nós. Entre cor, poesia e canção, saudamos o ser artista que nasce do interior.

Ficha Técnica

Direção,dramaturgia e concepção estética: Otávio Delaneza

Trilha sonora original: Giovanni Bonfim

Preparação vocal: Ana Paula Rotger

Confecção de objetos cênicos - Carneiro e pés: Juliana Fernandes e Vinícius Ribela; Demais bonecos e objetos: Otávio Delaneza e Vinícius Pestana, com colaboração dos demais integrantes da Arte-Móvel

Confecção dos figurinos: Catarina Pizol e Marlon Pizol

Elenco: Bruna Oliveira, Gabriel Mazon, Lays Ramires e Vinícius Pestana

Direção de produção: Lays Ramires

Duração:45 minutos

Classificação indicativa: Livre 

107 (20h) Até que Tu te Tornes Verde(espetáculo convidado): Teatro do Kaos,Cubatão/SP
Sinopse -
 A obra tem por inspiração momentos da vida do coronel Liberato (1884/1975), em algumas das tradições nordestinas do povo do Piauí e na relação de amor e admiração de um neto, Lourimar Vieira por seu mítico avô. 

Ficha Técnica:

Dramaturgia: Cícero Gilmar Lopes

Direção: Fernando Neves

Elenco: Fabiano di Melo, Levi Tavares, Lourimar Vieira, Mariana Nunes

Músico: Daniel Meirelles

Figurinista: Douglas Lima

Costureira: Dudu

Maquiagem e designer gráfico: Levi Tavares

Cenógrafo:  Zé Valdir Albuquerque

Iluminação: Thiago Varella

Operação de Luz: Rafael Almeida

Direção de Produção: Lourimar Vieira

Realização: Teatro do Kaos

Duração: 60 minutos

Classificação indicativa: 12 anos