Jornal Espaço Aberto

Página Inicial

Notícias

Fala Professor – O adeus a Ildefonso Paz Dias

Voltar para listagem de notícias Inserida em: 2013-04-17 -14:44

Fala Professor – O adeus a Ildefonso Paz Dias

Professores, funcionários de escolas e amigos, continuam chegando para se despedirem do  professor Ildefonso Paz Dias, velado desde  ontem (terça-feira), no velório 7 da Sociedade Portuguesa de Beneficência.

O primeiro colunista do Jornal Espaço Aberto e um dos mais antigos líderes sindicais em atividade na região, Ildefonso, presidente do Sinpro Santos – Sindicato dos Professores de Santos, Baixada Santista e Litorais Norte e Sul, estava na CTI  da  Beneficência Portuguesa  desde o último dia 10. Faleceu na tarde de ontem (16), aos 78 anos de idade, vítima de insuficiência respiratória. O velório teve início a noite e até o início desta tarde, muita gente continuava chegando ao local para o adeus ao professor, reconhecido como um defensor ferrenho dos direitos da categoria.

Advogado, professor de Língua Portuguesa e um estudioso e apaixonado pela  da literatura brasileira, desde o início da década de setenta (1970), Ildefonso, um dos fundadores da Federação dos Professores do estado de São Paulo (Fepesp) e da Confederação dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino, poderia ser encontrado, de segunda a sábado na sede do Sindicato (Av. Ana Costa, 145), em meio a pilhas de processos, livros, folhetos, jornais e cadernos de anotações. Não raro, quem chegava à sua procura na sala 2 do 1º andar do sindicato não o via. Mas ele estava lá, desde as primeiras horas da manhã, até o meio da noite, quando a ruidosa Av. Ana Costa se quedava em quase silêncio.  A sua mesa, por mais abarrotada que estivesse, era um “prato cheio” de desafios que ele, mesmo nos últimos anos e já com inúmeros problemas de saúde, não titubeava em encarar e buscar solução.

Quando não estava no sindicato, era fácil localizá-lo: uma vez por semana na Fepesp (Capital),  nos demais dias em algum fórum  ou porto de INSS da região. Ildefonso era o representante dos professores junto ao INSS.

Aos domingos, o sindicato também fazia parte de sua rotina. A barraca de praia da entidade, montada  na altura do Canal 3, entre a Concha Acústica e o Cine Arte era o ponto de encontro da categoria, parentes e amigos dos docentes.

Durante anos, Ildefonso buscou formas de expressar o pensamento dos professores diante de atos aviltantes à categoria, entre eles a questão salarial e uma dessas formas, eram as faixas afixadas na fachada do Sindicato. Alí a opinião dos docentes, ora contra o desrespeito não apenas à categoria, mas contra os cidadãos se tornava pública.

Ildefonso,  foi o primeiro colunista do Jornal Espaço Aberto, durante mais de duas décadas foi responsável pela Coluna “Fala Professor”,  publicada na página de Educação. Várias foram as parcerias com o jornal, sempre com o objetivo de incentivar os professores e estimular a população no hábito da leitura.

Apaixonado pelo ensino, apaixonado por Santos, entristecia-se diante do descaso das autoridades com relação à Educação e especialmente aos Professores, do mesmo jeito que se indignava com o abandono de alguns setores da cidade que em uma entrevista  rotulou-a de “complexo multifacetado de células carregadas de paixão”. (NFM) – Fotos: Arquivo EA